Centros culturais em BH oferecem arte, lazer e esportes à população

Ligados às nove regionais de BH, capital mineira soma 17 espaços que funcionam principalmente nos fins de semana

por Ana Clara Brant 17/02/2017 09:00

Centros culturais recebem 800 mil pessoas por mês em BH.

Os adolescentes Márcio Luiz Santos, de 15 anos, e Gabriel Igor, de 13, são vizinhos no Bairro Ipiranga, na Região Nordeste de BH. Em dezembro, as férias escolares coincidiram com a inauguração de um espaço que encheu a ''agenda'' dos garotos: o Usina de Cultura, o novo centro cultural de BH. Eles fazem oficina de violão, aulas de capoeira e querem aprender dança. Tudo de graça.

''Como a gente mora aqui perto e estávamos de férias, decidimos vir. É muito legal. Até trouxemos nossas mães para participar de algumas aulas'', revela Márcio.

A capital mineira tem 17 centros culturais, ligados às administrações regionais Barreiro, Centro-Sul, Leste, Nordeste, Noroeste, Norte, Oeste, Pampulha e Venda Nova. Pelo menos 15 surgiram da demanda das próprias comunidades por meio do Orçamento Participativo, informa Leônidas Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura (FMC).

''É uma demanda que já tem mais de 20 anos. O envolvimento da cidade com a cultura vem de longe, sobretudo por parte das comunidades da periferia. Assim, vamos criando massa crítica de conhecimento, cidadania, pertencimento e, consequentemente, uma cidade mais humana'', frisa.

Esses equipamentos oferecem oficinas, apresentações artísticas e sessões de cinema, entre outros projetos. Tudo gratuito. ''Em média, promovem 100 atividades, reunindo cerca de 800 mil pessoas por mês. O vínculo com a comunidade é o mais importante. A gente deve estar aberto às demandas dela. O caminho é por aí'', defende Frederico Diniz Oliveira, coordenador dos centros culturais de BH.

FOGÃO A LENHA

Usina de Cultura oferece ações nas áreas de literatura, música, teatro, dança, circo e artes visuais. ''Somos bem diferentes dos outros, justamente pelo tamanho. Em breve, teremos um fogão a lenha e telecentro. A cada dia chega mais gente aqui, o que tem nos surpreendido. O centros culturais são as pessoas, são elas que botam a vida aqui'', destaca Randolpho Silva, coordenador do espaço.

O espírito de colaboração se manifestou desde o início no Usina. Exemplo disso é a artista plástica Patrícia Caetano, que pintou um painel no espaço e cedeu espelhos para a sala de dança. Um grupo de amigos queria aprender passos de dança para arrasar na balada. Chegaram a alugar sala na Savassi para ensaiar. Quando o Usina de Cultura abriu, não pensaram duas vezes. ''A gente propôs ocupar aqui. Ensaiamos todos os sábados, outras pessoas podem aprender também. Moro aqui há 20 anos, é uma região carente desse tipo de coisa. Geralmente, espaços assim são muito comuns na Região Centro-Sul, daí a importância da descentralização'', salienta Francis d’Ávila, que faz aulas lá.

CANTIGAS DE RODA

Uma das iniciativas de sucesso do Centro Cultural São Bernardo, na Região Norte, é o programa Rosas do São Bernardo. Um grupo de senhoras divulga a cultura popular, a memória e o patrimônio por meio de cantigas de roda, brincadeiras, danças e declamação de poesia. ''Quando a oficina acabou, a gente teve a necessidade de dar prosseguimento, pois foi uma coisa tão bonita, de valorização da cultura, que não poderíamos deixar morrer'', revela Ieda Carvalho. Em cartaz este mês, a exposição Frutos da rosa reúne máscaras, colares e artefatos carnavalescos produzidos pelas integrantes.

''A população participa ativamente. Nosso dia mais movimentado é a quinta-feira. Temos brincadeiras, atividades e shows'', diz Léo Dias, gerente do centro.

 

DO TEATRO AO FORRÓ 

No Aglomerado da Serra, funciona o Centro Cultural Vila Fátima, que acabou se transformando na sede do grupo teatral Morro Encena, formado por mulheres negras. ''A população deve ocupar isso aqui, pois é feito para e por ela. Como nunca tivemos lugar para ensaiar, conseguimos uma sala aqui que se tornou a nossa sede e segunda casa'', comenta a atriz Herlen Romão.

Quando era garoto, o cantor e compositor Marquim D’ Moraes, morador da Vila Cafezal, aproveitou a oficina de jiu-jítsu. Hoje, faz shows com frequência no Vila Fátima. ''Só de ter um espaço para receber a comunidade já é positivo. Ela vai aprendendo a se apropriar'', acredita. Há três anos ministrando oficina de tae kwon do, Itamar José da Silva, o Itamar do Projeto, diz que as crianças se acostumaram à disciplina e à hierarquia exigidas pelo esporte. ''Vários professores me procuram para elogiar a mudança de comportamento delas na escola. Alguns meninos chegaram a disputar competições importantes, como o campeonato mineiro'', ressalta.

Na Região Noroeste, o Centro Cultural Padre Eustáquio abriga aos sábados o projeto Arena do Forró, criado há sete anos pelo professor Maciel Bosso. A atividade atrai cerca de 150 pessoas de todas as idades. ''Estava com osteoporose e o médico recomendou uma atividade física. Há três anos danço forró aqui. Melhorou demais o meu problema. Recomendo'', diz a terapeuta ocupacional Cristina Capuzzo. 

 

Confira as principais atividades dos Centros Culturais de BH:

 

 » ALTO VERA CRUZ

•Rua Padre Júlio Maria, 1.577, Alto Vera Cruz, (31) 3277-5612

Hoje, às 15h, cortejo de carnaval. Às 19h, oficina de hip-hop e street dance

 

» BAIRRO DAS INDÚSTRIAS

•Rua dos Industriários, 289, Bairro das Indústrias, (31) 3246-0339 e 3277-9176

Amanhã, às 10h, oficina de máscaras

 

» LIBERALINO ALVES DE OLIVEIRA

•Avenida Antônio Carlos, 821, Lagoinha, (31) 3277-6091 e 3277-6077

Hoje, das 8h às 9h, aula de ioga. Das 9h às 11h, o projeto Caminho das Flores ensina a fazer tulipas de tecido

 

» LINDEIA REGINA

•Rua Aristólio Basílico de Oliveira, 445, Regina, (31) 3277-6077

Hoje, às 19h, estreia o espetáculo A cidade e o sertão. Amanhã, das 14h às 16h, oficina de dança de salão

 

» USINA DE CULTURA

•Rua Dom Cabral, 765, Ipiranga, (31) 3246-0334 Amanhã, às 10h, aula de violão para iniciantes. 

Às 11h, ensaio aberto de clip dance

 

» PADRE EUSTÁQUIO

•Rua Jacutinga, 821, Padre Eustáquio, (31) 3277-8394

Hoje, às 19h, oficina de break dance. Amanhã, às 9h, Arena do Forró

 

» PAMPULHA

•Rua Expedicionário Paulo de Souza, 185, Urca, (31) 3277-9292

Hoje, das 18h às 19h, oficina de dança com Renato Ventura. Amanhã, das 13h às 16h, Bloco das Primas

 

» SALGADO FILHO

•Rua Nova Ponte, 22, Salgado Filho, (31) 3277-9624 e 3277-9625

Hoje, das 7h30 às 8h30, oficina de lian gong Amanhã, das 14h às 18h, oficina de turbante

 

» SÃO BERNARDO

•Rua Edna Quintel, 320, São Bernardo, (31) 3277-7416

Hoje, das 9h às 11h e das 13h às 16h, oficina de grafite. Às 19h30, aula de zumba

 

» SÃO GERALDO

•Av. Silva Alvarenga, 548, São Geraldo, (31) 3277-5648

Hoje, das 19h30 às 22h, aula de capoeira com mestre Beto Onça

 

» URUCUIA

•Rua W3, 500, Urucuia. (31) 3277-1531

Hoje, às 15h, oficina de máscaras. Às 19h, batalha de rimas com rappers da região do Cardoso

 

» VILA FÁTIMA

•Rua São Miguel Arcanjo, 215, Vila Nossa Senhora de Fátima. (31) 3277-8193

Amanhã, das 14h às 16h, oficina de tae kwon do, com o professor Itamar

 

» VENDA NOVA

•Rua José Ferreira Santos, 184, Novo Letícia. (31) 3277-5533

Hoje, das 9h às 17h, horta compartilhada. Amanhã, às 17h, debate “Cabelo: cultura drag queen das periferias”

 

» VILA MARÇOLA

•Rua Mangabeira da Serra, 320, Serra. (31) 3277-5250

Amanhã, às 17h, show de Marquim D’Moraes

 

» VILA SANTA RITA

•Rua Ana Rafael dos Santos, 149, Vila Santa Rita. (31) 3277-1519

Hoje, das 18h às 19h, oficina de balé. Amanhã, das 19h às 21h, ensaio aberto da Cia. Híper Periféricos 30

 

» ZILAH SPÓSITO

•Rua Carnaúba, 286, Conjunto Zilah Spósito/Jaqueline. (31) 3277-5498

Hoje, das 14h30 às 17h, aula de crochê. Amanhã, às 9h, roda de capoeira

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS