Neste fim de julho, a criançada de BH tem à disposição dezenas de eventos culturais

A sexta edição do Festival Saci - Sociabilização, Arte e Cultura na Infância vai até domingo, dia 31, no Sesiminas, com atrações variadas

por Ana Clara Brant 29/07/2016 15:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cristina Horta/EM/D.A Press
(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
O último fim de semana de julho vai fechar as férias escolares com agenda diversificada. Museus, bibliotecas, espaços culturais, zoológico e shoppings de Belo Horizonte programaram música, teatro, oficinas, colônias de férias e muitas brincadeiras para a garotada.


Aproveitando esse período do ano, a sexta edição do Festival Saci – Sociabilização, Arte e Cultura na Infância vai até domingo, no Sesiminas, com oficinas, brinquedoteca, rua de lazer, mostra de cinema, shows e espetáculo de dança.

Entre os destaques está o show de Toquinho e Tiê, hoje à noite. Temática, a apresentação traz canções ligadas ao imaginário infantil: O pato, A casa, O caderno e Aquarela, entre outras.

Amanhã, tem oficina de construção de brinquedos voltada para crianças de 4 a 8 anos. Além de ouvir Bonequinho doce, clássico da escritora mineira Alaíde Lisboa, as crianças poderão construir o próprio personagem. Também amanhã, às 16h, Geovanne Sassá e Weber Lopes fazem o show Pé de sonho.

No domingo, o trecho da Rua Padre Marinho em frente ao Sesiminas, no Bairro Santa Efigênia, vai se transformar em espaço para a família. Vão funcionar duas oficinas: de circo, a cargo da escola Espaço, que ensinará técnicas de malabarismo, equilibrismo e acrobacia; e a de hip-hop e DJ, a cargo do rapper Flávio Renegado.

Domingo, o Festival Saci será fechado com o Palavra Cantada, duo musical formado por Sandra Peres e Paulo Tatit. Entre os sucessos dos dois estão Sopa e Bolacha de água e sal. “A gente costuma dizer que a grande novidade de cada ano é a continuidade. Não é só a meninada que aproveita, os pais voltam aos tempos de criança. Queremos fomentar a cultura para o público infantil. A arte é transformadora e mágica, e o festival oferece variadas manifestações para estimular a criatividade, a sociabilidade e a disciplina”, destaca Mônica Simões, da Joaquina Cultura, uma das produtoras do evento.

O Museu dos Brinquedos, que completa 10 anos, também montou agenda especial para o finalzinho das férias. Além de visitar o acervo com 5 mil peças – jogos, piões, bonecas, carrinhos, cavalinhos de pau, lanternas mágicas, instrumentos musicais, fantoches, livros e discos –, a garotada vai aprender em oficinas a fabricar brinquedos e ouvir histórias.

Tatiana de Azevedo Camargo, coordenadora do espaço, diz que, em julho, nem todo mundo consegue viajar e os pais procuram entretenimento para os filhos na própria cidade.

“Nossas atividades são bem interativas, sem contar que a criança tem contato com brinquedos que fizeram parte da infância dos pais e dos avós. Estimular e valorizar o brincar é a nossa grande missão”, diz.

 

TEATRO

Evento tradicional de BH, o Festival Alterosa de Teatro Infantil chega à 22ª edição apresentando o repertório da Copas Produções Artísticas. Hoje, às 16h, será encenado Os saltimbancos.

Assinado por Charles Möeller, o texto se inspira no conto Os músicos de Bremen, que deu origem ao musical homônimo criado pelos italianos Sergio Bardotti e Luis Enríquez. Chico Buarque adaptou a trilha para a montagem brasileira.

A peça conta a história de animais que fogem da opressão e da violência dos patrões. Eles se unem para formar um conjunto musical, em busca de liberdade e alegria.

“É uma obra-prima, as canções do Chico são inesquecíveis”, afirma Diego Benicá, diretor artístico da Copas.

Amanhã e domingo, será a vez de O Rei Leão, inspirado na animação da Disney e sucesso da Broadway. Quinze atores estão em cena, com direito a figurinos e cenários especiais, além de música ao vivo. “Em BH, muita gente não tem condições de viajar e assistir lá fora a produções assim. Queremos trazer toda aquela energia para cá. É um Rei Leão com toque mineiro, mas sem perder a magia do original”, diz Benicá.

FASHION

No Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB-BH), a atração é Cinderela lá lá lá, nova adaptação da trupe paulistana Cia. Le Plat du Jour.

A protagonista é uma estilista talentosa obrigada a lidar com duas irmãs invejosas e a madrasta malvada. O espetáculo infantil faz uma paródia dos musicais da Broadway.

No Ponteio, duas peças ficarão em cartaz amanhã e domingo, com entrada franca. O musical O quintal da Guegué, com Gledes Gualberto e Paulo David, mescla brincadeiras com música, teatro e história cantada.

Domingo, será a vez de Uma surpresa para Benedita, do grupo Trampulim, que aborda as relações de amizade de maneira simples e bem-humorada, utilizando técnicas circenses e improvisações.

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS