Pampulha vai se transformar no grande palco de BH nos fins de semana

Até 30 de outubro, região será palco de espetáculos culturais, peças de teatro e eventos de lazer - a agenda soma cerca de 60 atrações com entrada franca

por Ana Clara Brant 22/07/2016 09:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Leandro Couri/EM/D.A Press
Museu de Arte da Pampulha receberá shows, concertos e peças (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

As três cidades mineiras consideradas Patrimônio Cultural da Humanidade – Ouro Preto, Diamantina e Congonhas – vão se reunir para saudar o calouro da turma: o Conjunto Arquitetônico Moderno da Pampulha, em Belo Horizonte, que acaba de receber o título concedido pela Unesco.

A festa vai ser boa. Até 30 de outubro, a Pampulha será palco de espetáculos culturais, peças de teatro e eventos de lazer – a agenda soma cerca de 60 atrações com entrada franca. Esta noite, edição especial do projeto Minas ao Luar reunirá artistas dos três patrimônios mineiros na Praça Dino Barbieri, ao lado da Igreja de São Francisco de Assis. À Orquestra Ouro Preto se juntarão o Coral Cidade dos Profetas de Congonhas e a Vesperata de Diamantina.

“Temos que aproveitar esse momento especial, trazendo as pessoas para comemorar e ocupar a Pampulha. Mais do que nunca, devemos consolidá-la como um ponto turístico, já que finalmente Belo Horizonte ganhou uma atração de nível internacional. Tudo isso vai desembocar em investimentos no comércio, na infraestrutura e no meio ambiente”, promete Leônidas Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura (FMC).

Rodrigo Toffolo, regente da Orquestra Ouro Preto, está feliz em representar a antiga Vila Rica na celebração do novo Patrimônio Cultural da Humanidade. Para ele, a distinção recebida pela Pampulha é mais do que merecida. “Um país com arquitetura, música e cultura tão ricas merecia esse prêmio. Nós, músicos da orquestra, sabemos da importância que um título como esse tem para Ouro Preto”, ressalta.
Naty Torres/divulgação
Hoje à noite, o maestro Rodrigo Toffolo vai reger a apresentação da Orquestra Ouro Preto (foto: Naty Torres/divulgação)

AMÉRICAS A apresentação de hoje se pautará pelo repertório de Latinidade: música para as Américas, disco lançado este ano pela Orquestra Ouro Preto. Sete peças foram reunidas nas 19 faixas. “Nosso CD tem pegada mais para cima. Vamos tocar muita música do continente, bem como canções do Brasil e de Minas. O set list é bem apropriado para esse feito brasileiro”, diz Toffolo.

Entre as atividades do fim de semana, o público poderá conferir performances da Trupe Gaia Escola de Circo e de contadores de histórias, atrações de amanhã na Casa Kubitschek, e o musical As rainhas do rádio, no Museu de Arte da Pampulha (MAP), no domingo. Pedro Morais e Devise fazem show na Casa do Baile, também no domingo.

SAIBA MAIS

VALOR HISTÓRICO


O título de Patrimônio Cultural da Humanidade é concedido pela Organização das Nações Unidas para a Cultura, Ciência e Educação (Unesco) a monumentos, edifícios, trechos urbanos e ambientes naturais de importância paisagística que tenham valor histórico, estético, arqueológico, científico, etnológico ou antropológico. O Brasil tem outros 18 bens reconhecidos pela Unesco como patrimônio mundial. Entre eles estão Brasília, Pantanal, Parque Nacional do Iguaçu, a cidade de Salvador, o Centro Histórico de Olinda. A lista mineira inclui Ouro Preto, o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, e o Centro Histórico de Diamantina.


Beto Novaes/EM/D.A.Press
Ronaldo Fraga quer implodir a sede do Iate (foto: Beto Novaes/EM/D.A.Press)

O presente dos artistas

 

Todo mineiro, especialmente o belo-horizontino, tem um carinho especial pela Pampulha. Assim que o título de Patrimônio Cultural da Humanidade foi anunciado pela Unesco em Istambul, na Turquia, as comemorações pipocaram na internet.

No entanto, não é só festa. Água limpa na lagoa é o sonho de todos. “Esse é o melhor presente que poderíamos dar à Pampulha”, frisa o cineasta Helvécio Ratton.

O estilista Ronaldo Fraga, que defende a despoluição “para lavar a alma dos mineiros”, sugere outras medidas, como a implosão da sede do Iate. “Isso era um desejo do próprio Niemeyer. Aquele caixote de concreto entrando na água é uma afronta, não tem nada a ver com o traçado original. Outro presente seria desenterrar as caveiras do antigo cassino do Museu de Arte, pois só isso pode explicar por que nenhum café ou restaurante vinga ali. Recebemos tanta gente de fora e mal tem um cafezinho para oferecer aos visitantes”, lamenta.
Renato Rocha Miranda/Divulgação
Daria de presente um sistema de purificação de água para despoluir nossa lagoa linda. - Inês Peixoto, atriz (foto: Renato Rocha Miranda/Divulgação)


ESCOLAS Além de defender o saneamento da lagoa, o compositor Murilo Antunes sonha transformar a Pampulha em matéria obrigatória em todas as escolas de Minas Gerais. “Queria ver os alunos aprendendo sobre Oscar Niemeyer, Burle Marx, Portinari e arquitetura moderna”, ressalta.

Viúva do compositor Gonzaguinha, que compôs Lindo lago do amor inspirado na Pampulha, Louise Martins, a Lelete, sempre morou na região. Para ela, a despoluição seria o melhor presente. “No meu tempo de criança, era ótimo quando esquiávamos e andávamos de lancha, participando de torneios aquáticos fantásticos. A lagoa não recebia esgotos até o Newton Cardoso desviar a sujeira de Contagem das Abóboras para lá”, afirma. “Aqui é o meu lugar. Até os meus últimos dias!”, avisa.

CORETO
Mineira radicada no Rio de Janeiro, a cantora e compositora Marcella Fogaça sugere um coreto no gramado, perto da Igreja de São Francisco ou do Museu de Arte da Pampulha. “Um espaço para as pessoas poderem ler, tocar violão, assistir a shows com corais ou a pequenas apresentações. Isso atrairia ainda mais gente para essa maravilha”, diz.

Há 32 anos morador de uma casa-ateliê na Pampulha, o artista plástico Fernando Pacheco imaginou presente inusitado para o novo patrimônio da humanidade: um ônibus com design retrô e traços criados por ele. Pacheco quer ver três desses veículos circulando pela orla, com paradas em todos os pontos turísticos do conjunto arquitetônico.


“Meu segundo presente seria utópico: paz, segurança, gentileza, educação, o fim da especulação imobiliária, não cortar árvores. E o ‘não’ a casas de festas barulhentas, à invasão de lotes esquecidos, aos buracos nas vias e calçadas. Um outro ‘não’ aos animais soltos na rua. Deixem os passarinhos e as árvores de frutas”, conclui Pacheco, defendendo a despoluição total da lagoa e o tratamento do esgoto dos bairros do entorno da lagoa.

Programação

HOJE

»19h – Abertura das comemorações. Mestre de cerimônia: Milton Gonçalves. Com Vesperata de Diamantina, Coral Cidade dos Profetas de Congonhas e Orquestra Ouro Preto. Praça Dino Barbieri, Av. Otacílio Negrão de Lima, 3.000
»19h – Espetáculo pirotécnico. Pieres da Lagoa da Pampulha

AMANHÃ
»10h – Trupe Gaia Escola de Circo e contação de histórias. Casa Kubitschek, Av. Otacílio Negrão de Lima, 4.188

DOMINGO
»7h às 10h – Corrida da cooperação/Ocemg. Praça Geralda Damata Pimentel, Rua Versília, s/nº, Pampulha
»10h – Contação de histórias: Um sonho chamado Pampulha. Museu de Arte da Pampulha, Av. Otacílio Negrão de Lima, 16.585
»11h – Musical As rainhas do rádio. Museu de Arte da Pampulha
»17h – Shows de Pedro Morais e Devise. Casa do Baile, Av. Otacílio Negrão de Lima, 751

29 DE JULHO

»20h – Orquestra de Câmara do Sesiminas. Museu de Arte da Pampulha

30 DE JULHO

»10h – Desenhando em família, com Rogério Fernandes. Visita teatralizada musical JK com vida. Casa Kubitschek

31 DE JULHO
»10h – Espetáculo infantil O quintal da Guegué. Museu de Arte da Pampulha
»17h – Shows de Jennifer Sousa e Vaga Luz. Casa do Baile
* Informações: (31) 3246-0297

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS