Exposição em BH retrata a chegada de galegos ao Brasil e Venezuela

Exposição que será inaugurada hoje apresenta imagens da migração entre os anos 1950 e 1960

por Ana Clara Brant 16/12/2015 09:54

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ALBERTO MARTÍ/DIVULGAÇÃO
O Buque de Santa Maria, que transportava os emigrantes galegos, é umdos tópicos da exposição (foto: ALBERTO MARTÍ/DIVULGAÇÃO)
Comunidade autônoma espanhola situada no noroeste da Península Ibérica, a Galícia conviveu com diversas diásporas. A Revolução Industrial impulsionou levas de migrantes galeses para a América espanhola, sobretudo. Mas o Brasil não ficou de fora dessa rota, nem mesmo Belo Horizonte, que estava nos seus primórdios. “BH teve uma presença galega importante. Alguns galegos chegaram a contribuir na construção de um dos principais marcos da capital mineira, o obelisco da Praça Sete”, afirma o diretor do Instituto Cervantes de Belo Horizonte, Luis Javier Ruiz Sierra.


Mas é à corrente migratória ocorrida no século 20, depois da Guerra Civil Espanhola (1936-1939), que se dedica a exposição Os adeuses, que chega hoje à capital mineira, depois de já ter passado por Argentina e Venezuela. Entre 1957 e 1963, um dos mais renomados fotógrafos espanhóis, Alberto Martí, registrou com sua câmera crianças, adultos e idosos deixando a Galícia, com destino aos países da América, especialmente Venezuela e Brasil.


A exposição foi inaugurada no porto da Galícia com o acervo completo de 113 imagens. É uma parcela do acervo (37 fotos em preto e branco) que a Câmera7 – Casa da Fotografia de Minas Gerais, na Avenida Afonso Pena, exibe até 27 de fevereiro de 2016.


A mostra é realizada pelo Instituto Cervantes, em parceria com a Embaixada da Espanha no Brasil, Fundação Clóvis Salgado e Prefeitura de Belo Horizonte. A mostra tem curadoria do artista espanhol José Caruncho, que ficou encantando com a trajetória de Martí, que começou a fotografar aos 12 anos de idade. Hoje, aos 93, vive na Galícia.


A exposição estrutura-se em três partes em torno da migração: a partida da Galícia, desde os portos de Vigo e da Coruña, que é um dos principais da Europa e um dos “corações” financeiros da Galícia, entre 1957 e 1963; o Buque Santa Maria – navio que transportava as pessoas que deixavam suas terras em busca de novos destinos – e o retorno de muitos galegos à comunidade espanhola.


“As fotos retratam a despedida de galegos anônimos de diversas formas. Temos o adeus refletido nos rostos dessas pessoas, os navios que trouxeram os imigrantes para o Brasil e até os que levaram alguns de volta. São fotos extraordinárias, que emocionam. A exposição é bela e muito significativa”, comenta Luis Javier Ruiz Sierra. Depois de passar por Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Curitiba e aportar em BH, a mostra segue para Manaus e Salvador.

ALBERTO MARTÍ/DIVULGAÇÃO
O fotógrafo Alberto Martí fez seus registrosemdois portosdaGalícia %u2013 os de Vigo e Coruña (foto: ALBERTO MARTÍ/DIVULGAÇÃO)

 

Exposição de fotografias de Alberto Martí.

Em cartaz até 27 de fevereiro, na Câmera7 (Av. Afonso Pena, 737, Centro).

De terça a sábado, das 9h30 às 21h.

Informações: (31) 3236-7322.

Entrada franca.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS