'Criação', de Bhajju Shyam e Gita Wolf, diz muito com poucas palavras e imagens belíssimas

Obra contraria a corrente de livros tagarelas e vazios

por Walter Sebastião 31/10/2015 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
WMFMartins Fontes/ Reprodução
(foto: WMFMartins Fontes/ Reprodução)
Nunca é demais ressaltar as preciosidades que vêm sendo lançadas sob a tarja de publicações para jovens leitores, que, aos poucos, vêm substituindo a limitada expressão “livros para crianças”. Limitada porque, de fato, os melhores entre esses livros podem ser lidos por todos. Além disso, trata-se de uma ala do mercado editorial que  vem dando corpo a aventuras ousadas.

De livros com recriações e criações de fábulas e lendas chegou-se ao livro visual, que, por sua vez, vem dando lugar a narrativas e produções experimentais. Depois dos poemas visuais, aos poucos vai surgindo uma prosa visual e outros experimentos cujo arrojo surpreende.

Exemplo recém-lançado desse último aspecto é Criação (WMF Martins Fontes), de Bhajju Shyam e Gita Wolf. O primeiro é um respeitado artista que tornou a arte da comunidade dele (o povo gond, que vive na Índia central) conhecida em todo o mundo. A segunda é uma editora indiana (da Tara Books) que vem divulgando os trabalhos do pintor. É Gita quem explica, em texto incluído no volume, que o criador é figura especial: ele representa a tradição de narradores visuais gonds, que condensa contos longos e complexos em uma imagem rica de significados, simples, incisiva e muito elaborada.

O livro nasceu do convívio dela com Bhajju Shyam durante 10 anos. Ela o acompanhou “movendo-se com desenvoltura entre o espírito das árvores, o voo dos insetos e a origem das cores e o início da arte”. Encantada com o que ouvia do artista (um pradhan, pessoa da tribo que conhece as lendas e cosmologias incorporadas à vida da comunidade), propôs que ele contasse os mitos – do nascimento até a morte – que, depois de redigidos ganharam imagens de Bhajju Shyan. Cada página do livro tem ainda comentários do artista sobre a simbologia da narrativa.

“FEROZMENTE INDEPENDENTE”

Mais: Criação tem edição limitada. Foi impresso em silk-screen em papel artesanal, na cidade de Chennai (Índia). É um padrão das publicações da Tara Books, editora criada em 1994 (que continua sendo um coletivo de escritores, designers e artistas) voltada para livros de imagens para adultos e crianças, que se autodefine como ferozmente independente.

É possível encontrar na internet vídeos apresentando os trabalhos realizados por seus artistas. A proposta da editora é somar boa forma e conteúdo rico, “oferecendo aos leitores vozes incomuns e raras na arte e na literatura”. Proposta, vale observar, cumprida à risca no caso de Criação.

Verdadeira joia editorial, em Criação tudo é perfeito: dos textos até o ótimo projeto gráfico. Aspectos articulados com precisão para apresentar, sem excessos, de forma envolvente, a arte de um singular ilustrador-narrador. O livro é também um ótimo convite à leitura meditada de textos sintéticos e intensos em tempos de não poucos volumes tagarelas e vazios.

Shyam já havia publicado no Brasil É assim que eu vejo as coisas (Editora Gaia), com ilustrações suas  para conto de Sirish Rao. A Editora WMF Martins Fontes, que oferece Criação ao mercado brasileiro, já lançou os seguintes títulos da Tara Books: A vida na água e A vida secreta das plantas (ambos esgotados), O círculo do destino, Acompanhando meu pincel (o único até gora não impresso em silk-screen) e Onde cabe um, cabem dez.  O trabalho do coletivo indiano tem um admirador de peso: Alexandre Fontes, um dos proprietários da WMF Martins Fontes. Para ele, os livros dos indianos merecem todo o cuidado que recebem. “São mais caros, mas são presentes para o povo brasileiro. O Brasil merece um trabalho assim”, afirma.

Criação
De Gita Wolf (texto) e Bhajju Shyam (ilustração). Tradução: Monica Stahel. (28 págs, R$ 99,80). Editora WMFMartins Fontes

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS