'Janeiros' tributo à cultura popular brasileira, está em cartaz na Grande BH

Espetáculo do grupo cearense Carroça de Mamulengos será apresentado em BH, Nova Lima e Rio Acima

por Carolina Braga 30/10/2015 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Samuell Casagrande/Divulgação
(foto: Samuell Casagrande/Divulgação)
No mundo dos mamulengos, janeiro não é apenas um mês. É personagem – e um dos mais populares dessa linguagem. “O boneco levanta a cabeça bem alto e fala: ‘janeiro vai, janeiro vem’. Fomos encontrar na cultura popular um personagem que conseguiu traduzir o que estávamos querendo”, diz a dramaturga e atriz Maria Gomide.


Janeiros é o nome da nova peça do grupo cearense Carroça de Mamulengos, radicado desde o ano passado em Rio Acima, na Grande Belo Horizonte. O espetáculo será apresentado em BH, Nova Lima e Rio Acima.

Há 35 anos a trupe se dedica a levar fragmentos da cultura popular para todo o Brasil. Os integrantes, todos da mesma família, são brincantes, atores, músicos, bonequeiros e palhaços. Eles convidaram o ator Rodolfo Vaz, ex-Grupo Galpão, para dirigir a peça.

O tempo é protagonista da história contada em Janeiros. A dramaturgia de Raysner de Paula e Maria Gomide narra a saga de um homem que plantou seu próprio sustento por onde passou. Estão em cena os irmãos Maria, João, Isabel e Luzia, além de Ana Gomide, de apenas 2 anos. “Ela está brincando com uma boneca que meu pai fez pra mim quando tinha a idade dela”, conta Maria, a mãe orgulhosa.

A peça foi pensada para espaços abertos ou fechados. Como a música é sempre elemento fundamental para o Carroça, parte da trilha sonora – criada por Beto Lemos, responsável por importantes musicais brasileiros, como Gonzagão e Ópera do malandro, de João Falcão – é executada ao vivo.

PESQUISA Carroça de Mamulengos foi criado em 1977, em Brasília, pelo bonequeiro Carlos Gomide. Apaixonado pela cultura popular, ele se mudou com a família para o Nordeste, onde iniciou a pesquisa sobre mamulengos. Os oito filhos se juntaram a ele na lida teatral.

A família Gomide vivia na estrada. Ano passado, um acidente em Mato Grosso pôs Minas Gerais na rota da trupe. Em maio, o ônibus em que eles viajavam foi jogado para fora da pista. Os artistas foram acolhidos pelo Instituto Gandarela, em Rio Acima, para fazer a residência artística que culminou em Janeiros.

Confira

>> Rio Acima
Nesta sexta-feira, às 20h. Instituto Gandarela. Av. Governador Israel Pinheiro da Silva, 522, Centro.
Entrada franca.

>> Belo Horizonte
Sábado, às 18h. Praça da Liberdade. Entrada franca.

>> Nova Lima
Domingo, às 18h. Teatro C.A.S.A –  Centro de Arte Suspensa Armatrux. Rua Himalaia, 69, Vale do Sol. Entrada franca.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS