Filósofo francês Michel Foucault completaria 89 anos

Com estudos sobre identidade, poder e sexualidade, sua obra permanece viva

por Correio Braziliense 16/10/2015 11:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução
Foucault em foto clássica (foto: Reprodução)
Há 89 anos, em 15 outubro de 1926, nascia em Paris, Michel Foucault. Um pensador do século XX que inventou certo modo de pensar, que atravessa toda uma geração. Seus estudos foram fundamentais para os movimentos de contestação política e social e para todos aqueles que desejam “saber como e até onde seria possível pensar de modo diferente”.

Foucault é conhecido pelas suas críticas às instituições sociais, especialmente à psiquiatria, à medicina, às prisões, e por suas ideias sobre a evolução da história da sexualidade, suas teorias gerais relativas à energia e à complexa relação entre poder e conhecimento, bem como por estudar a expressão do discurso em relação à história do pensamento ocidental.
 
O pensador francês escreveu artigos para jornais e revistas sobre acontecimentos importantes, deu conferências e entrevistas em diversos países, inclusive no Brasil. Destacou pelas desconcertantes obras que problematizaram questões socais, como História da Loucura, lançado em 1961.  Que relatava como a loucura ocupou essa posição excludente na sociedade, começando sua narrativa na Idade Média, passando pela Renascença e chegando a luta anti-manicomial. No Brasil, o livro é comercializado pela editora Perspectiva.
 
Livros como Vigiar e Punir e Microfísica do Poder, marcaram no campo da política e do direito. Em História da Sexualidade Foucault conseguiu extrair toda essência de estudos e feministas e da sexualidade dos anos 70, pensado em 4 volumes, o último não foi concluído devido sua morte precose aos 54 anos, em decorrência da Aids. Ele publicou mais de 40 livros e sua obra está mais vida do que nunca.

O filósofo sempre procurou dar visibilidade às partes ocultas que formam o presente e os fragmentos de narrativas que constituem o ser humano.
 
“Mostrar às pessoas que elas são muito mais livres do que pensam, que elas tomam por verdadeiro, por evidentes, certos temas fabricados em um momento particular da história, e que essa pretensa evidência pode ser criticada e destruída.” - Michel Foucault
 
Foucault por ele mesmo
O documentário Foucault por ele mesmo (assista abaixo) rompeu brutalmente com os conceitos ou teorias sobre o saber, como o poder e a identidade, temas esses discutidos em toda literatura foucaultiana. Apesar do filme apresentar algumas datas (nascimento, morte, datas de publicações de livros), ele não é considerado uma biografia e sim uma memória de seus pensamentos.
 
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS