Museu das Minas e do Metal recebe encontro de colecionadores de minerais

Além da exposição de coleções particulares e de amostras do acervo do Museu, o encontro terá nove mesas de debates de colecionadores e profissionais

por Ana Clara Brant 04/09/2015 09:40

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
FOTOS:LEONARDO MIRANDA/DIVULGAÇÃO
Cristal de quartzo com turmalina (foto: FOTOS:LEONARDO MIRANDA/DIVULGAÇÃO)
O colecionador Lourenço Bernardes ainda era criança quando uma vizinha lhe deu um pedaço de quartzo que o encantou. Ele nunca se esqueceu daquela pedra, que tinha uma inclusão (espécie de corpo estranho que pode ser líquido, sólido ou gasoso e fica aprisionado no interior de uma gema em formação) e, sobretudo, uma transparência sem igual. Desde então, Bernardes passou a colecionar minerais. Hoje, ele tem um acervo “interessante”.

“Mais do que a quantidade e o valor monetário, o que importa é o valor sentimental, que é muito grande. Eu me lembro que no ano passado, durante o primeiro encontro de colecionadores de minerais realizado no MM Gerdau, havia um menino que estava tão feliz e orgulhoso em estar ali exibindo suas pedrinhas para todo o mundo. É isso que conta”, comenta o colecionador, que participa da segunda edição do evento no Museu das Minas e do Metal, amanhã.

A iniciativa surgiu da demanda frequente que a instituição recebia de pessoas interessadas em identificar minerais, fazer doações de amostras e sugerir trocas, como explica a geóloga Márcia Guimarães, responsável pela curadoria de geociências do museu. “Para algumas pessoas, e não só gente ligada a essa área, como geólogos e engenheiros de minas, os minerais despertam uma verdadeira paixão. Gente que começa a catar uma pedra aqui e acolá, ainda criança, e que, quando se assusta, já tem um material considerável. Foi pensando neles que sugeri esse projeto”, afirma.

Márcia diz que o encontro é bem descontraído e que oferece informações básicas e também científicas. Além da exposição de coleções particulares e de amostras do acervo do Museu, o encontro terá nove mesas de debates de colecionadores e profissionais que também irão tirar dúvidas do público. “Como o evento é aberto não só aos colecionadores e especialistas, mas também aos interessados de maneira geral, o bacana é a troca que se estabelece entre todos”, diz.

Entre os minerais que mais despertam a curiosidade, segundo ela, estão os flexíveis (aqueles que podem ser encurvados e retornar ou não à sua forma original, quando cessa o esforço que os deformou) e principalmente, os fluorescentes (que se tornam luminescentes quando expostos à luz ultravioleta e emitem cores das mais diversas). “Essas pedras encantam as pessoas”, resume.

Lourenço Bernardes, cuja esposa também é colecionadora, diz que morar em Minas Gerais facilita na hora de adquirir um novo item para a sua coleção. “Outro dia estávamos passeando pela Gruta de Maquiné e vimos uma linha de cristais na estrada. Paramos, começamos a cavar com as mãos e conseguimos tirar uma pontinha daquele cristal que era bem transparente e tinha praticamente um arco-íris dentro. Quando você menos espera, se depara ou pisa em algo assim que tem uma beleza ímpar”, afirma.

Foi assim também que ele conseguiu uma das pedras mais bonitas de seu acervo. Caminhando pela Savassi, avistou uma artesã de colares e bijuterias e bateu o olho em um pedaço de mineral bem especial. “Não perdi tempo. Na mesma hora, negociei e comprei. Era uma labradorita linda. Cada pedra tem a sua particularidade. Acho que o prazer é esse; a descoberta, o encontro.”

2º Encontro de Colecionadores de Minerais de Belo Horizonte
Neste sábado, das 14h às 18h, no MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal (Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários). Entrada franca. Informações: (31) 3516-7200

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS