Obra de Guignard é recuperada em Belo Horizonte

Restituição foi feita no Laboratório de Documentação Científica por Imagem da Escola de Belas-Artes da Universidade Federal de Minas Gerais

por Walter Sebastião 24/08/2015 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jair Amaral/EM/D.A Press
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Partes apagadas de um desenho de Alberto da Veiga Guignard voltaram a ser visíveis graças a procedimentos de alta tecnologia realizados no Laboratório de Documentação Científica por Imagem da Escola de Belas-Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (iLAB). Trata-se de uma paisagem, provavelmente de Ouro Preto, datada de 1956.


A recuperação foi possível devido a técnicas como fotografia de luz visível com gerenciamento de cores, foto de luz rasante e o emprego de ultravioleta, explica Alexandre Leão, coordenador do iLAB. Captou-se o relevo deixado pela ferramenta de Guignard sobre o papel para depois restituir a visualização completa da imagem.

Alexandre Leão frisa que não se trata de restauração, mas de conseguir, por meio de técnicas de imageamento, restituir conteúdo que deixou de ser visível. A imagem final, resultante da soma de 48 fotografias, será exibida ao lado do desenho original no Museu Casa Guignard, em Ouro Preto, durante a semana dedicada à obra do artista plástico, cuja programação começa no dia 27. Além disso, a instituição receberá em comodato, por quatro anos, dois retratos pintados pelo artista.

O pintor e desenhista Alberto da Veiga Guignard (1896-1962) é admirado pelo público, aclamado pela crítica e tem sua obra cada vez mais valorizada no mercado. Em recente leilão realizado na Bolsa de Arte de São Paulo, seu quadro 'Vaso de flores' (1930) foi arrematado por R$ 5,7 milhões.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS