Artista japonês diz que sofreu censura por paródia sobre primeiro ministro

Nome importante da produção contemporânea, Makoto Aida recebeu instruções de museu para modificar obras que criticam o Governo do Japão

por AFP 29/07/2015 11:34

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

AFP Photo/Kazuhiro Nogi
Em vídeo (ao fundo), Makoto interpreta versão cômica do primeiro ministro Shinzo Abe; obra à frente é manuscrito que ironiza desempenho do ministro da Educação no Japão (foto: AFP Photo/Kazuhiro Nogi)
Um artista japonês, Makoto Aida, afirmou ter recebido instruções do Museu de Arte Contemporânea de Tóquio (MoT) para modificar ou retirar suas obras críticas ao governo de Tóquio sob a afirmação de que "não eram apropriadas".

 

Uma das obras do artista, considerado muito provocador, é um vídeo paródia que mostra "um homem que se faz chamar de primeiro-ministro durante um discurso ante uma assembleia internacional", uma personagem que imita o chefe de governo Shinzo Abe expressando-se em um inglês muito rudimentar.

As declarações do vídeo fazem referência à reticência de Abe de apresentar desculpas sinceras à população da Ásia vítima do imperialismo japonês antes e durante a Guerra do Pacífico.

O museu não explicou à AFP como quer que a obra seja modificada, mas admitiu ter recebido queixa dos serviços competentes do governo metropolitano

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS