Peças desenvolvidas entre BH e São Paulo estreiam aqui e por lá

'Do lado direito do hemisfério' e 'Heróis: Uma pausa para David' foram criadas em colaboração entre artistas das duas capitais

por Ana Clara Brant 29/07/2015 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ronaldo Janotti/divulgação
''Nossa companhia é 'biestadual''', diz Nando Motta, da Afeta: 'Do lado direito do hemisfério' estreia no CCBB-SP nesta quinta-feira, 29 (foto: Ronaldo Janotti/divulgação)
Foi na ponte aérea BH–SP e com a ajuda de aplicativos que permitem conversas instantâneas que nasceram os espetáculos 'Do lado direito do hemisfério', da Cia Afeta, e 'Heróis: Uma pausa para David', da Suacompanhia, ambas mineiras. Nesta quinta-feira, 30, o grupo Afeta estreia no CCBB-SP (Centro Cultural Banco do Brasil paulista) temporada de sua peça, que irá até 25/9. A partir da sexta que vem, a Suacompanhia faz duas semanas de apresentações de sua montagem.


“Nossa companhia é ‘biestadual’. Ela foi criada por mim e pela Ludmilla Ramalho, há cinco anos, em Belo Horizonte. Mas eu moro na capital paulista, e a Lud, na mineira. Como sou uma pessoa que gosta muito desse viés tecnológico, isso acaba nos ajudando bastante para nos comunicar. Até hoje tem dado certo”, diz Nando Motta, um dos fundadores da Cia Afeta.

 

'Do lado direito do hemisfério' foi ensaiado em São Paulo e adapta livremente textos do escritor e neurologista britânico Oliver Sacks. O elenco (Alexandre Cioletti, Barbara Salomé, Rodrigo Fidelis e o próprio Nando) é todo formado por mineiros, mas radicados em Sampa.

 

“É a estreia da Afeta em São Paulo. Nunca havíamos nos apresentado aqui. Como o projeto foi contemplado pelo CCBB-SP, a temporada vai se iniciar por São Paulo e, quem sabe, rodar depois os CCBBs de outras cidades”, diz.

PRÊMIO

Já 'Heróis: Uma pausa para David' foi contemplado com o Prêmio Funarte Myriam Muniz 2014 é o primeiro trabalho do ator belo-horizontino Paulo Azevedo, fundador e ex-integrante do Grupo Spanca!, à frente da Suacompanhia. Azevedo mora na capital paulista desde 2008. A peça marca a volta aos palcos da atriz e ex-companheira de Spanca! Samira Ávila, que colaborou no processo de criação.


Breno Mayer/Divulgação
Samira Ávila estrela monólogo 'Heróis: Uma pausa para David'; parte dos ensaios aconteceu via Skype (foto: Breno Mayer/Divulgação)
Há um ano, Samira, que mora em BH, tem utilizado o Skype (além de viajar quinzenalmente a São Paulo) para os ensaios. “O interessante é que outros profissionais envolvidos, como fonoaudiólogo, preparador vocal e cenógrafo, estão cada um num canto do país. Aprendi a trabalhar pela primeira vez via Skype, não só fazendo aulas de canto, mas também reuniões, mesas de atores. Tudo funcionou muito bem”, afirma a atriz.


Apesar de quase todo o processo “in loco” ter se dado em São Paulo, a estreia da montagem vai ser em Minas, como parte das comemorações do aniversário do Sesc Palladium. “Temos uma ansiedade natural pela estreia, mas, ao mesmo tempo, é um conforto e uma alegria poder compartilhar isso em casa. Ainda mais que tivemos parceiros mineiros importantíssimos, como o Grupo Corpo e o Galpão. Estamos tentando fechar para apresentar em setembro aqui em São Paulo”, diz Azevedo.

 

'Heróis: Uma pausa para David' é um monólogo sobre um astro de rock em crise. Ele é flagrado em suas reflexões sobre as escolhas que fez e o modo como conduz sua vida, disparadas no momento em que, a caminho de um ensaio, avista uma formiga.


A última vez em que Samira Ávila, a protagonista do monólogo, esteve num palco foi em 2010, com 'Fala comigo como a chuva', no Festival Internacional de Teatro Palco & Rua de Belo Horizonte, o FIT-BH. Nesse intervalo, a atriz desenvolveu um trabalho de arte-educação, fez participações em curtas, dirigiu e se tornou mãe. “Foi importante essa pausa, para redimensionar, amadurecer as coisas. Tudo mudou. Meu reencontro com o Paulo é muito especial e veio num momento certo para ambos. Não foi fácil esse processo, essa dinâmica de cada um estar num lugar, mas, analisando hoje, tivemos muita coragem”, diz.


Azevedo diz que ele e Samira decidiram “ignorar” as dificuldades de uma produção artística, sobretudo a distância, e que, olhando para trás, acredita que até isso foi válido. “Não imagino outra pessoa nessa empreitada que não fosse a Samira. Por conta da sua energia, da nossa história e de como pensamos parecido sobre o teatro. Em 'Heróis: Uma pausa para David', o protagonista tem uma fala muito interessante, ‘Parece um novo lugar’, que serve para mim e para ela. A gente está há anos na TV e no teatro, e é a primeira vez que experimentamos novas funções. Estamos numa outra relação com aquilo que a gente sempre trabalhou. Uma coisa mais livre.”


Além da temporada no Teatro de Bolso do Sesc Palladium (de 7/8 a 16/8, de sexta a domingo), está previsto um bate-papo com os artistas às 21h do dia 14/8.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS