Artistas consagradas relatam os desafios de conciliar carreira e maternidade

Claudia Raia, Arlete Salles, Rosa Pasos e Regina Casé falam sobre suas experiências

por Diego Ponce de Leon 10/05/2015 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Há dias em que a atriz Claudia Raia chega nos estúdios sem hora de voltar para casa. Muitas vezes, corre de uma gravação direto para os palcos. O mesmo vale para a apresentadora Regina Casé, que se dedica não somente à televisão, mas também ao cinema. Arlete Salles, hoje, escolhe com calma os projetos com os quais irá sem envolver, mas nada que a livre de uma rotina diária de compromissos. A cantora Rosa Passos consegue aproveitar algum tempo livre, mas quando o trabalho clama, ela atende. E, por vezes, o cotidiano vira de cabeça para baixo. Rosa costuma encarar temporadas nos Estados Unidos e na Europa. Todas elas são mães. Arlete e Rosa são avós. Em algum momento, a maternidade bateu à porta e elas tiveram que se virar para conciliar a nova realidade com a carreira artística. Entre alguns sacrifícios, compensados pelo deleite da chegada dos filhos, elas venceram a jornada dupla. Em entrevista exclusiva ao Correio, e antecipando os festejos do Dia das Mães, Claudia, Regina, Rosa e Arlete revelaram como lidaram com as limitações impostas pela gravidez, contaram os desafios da trajetória como mães artistas e, claro, compartilharam a felicidade propiciada pelos herdeiros. Em um ponto, todas concordam: maternidade e profissão ainda impõem um paradigma a ser vencido.

Instagram / Reprodução
Cláudia Raia com os filhos Enzo e Sophia (foto: Instagram / Reprodução)

 

Claudia Raia
Ocupação: atriz, bailarina e cantora
Filhos: Enzo e Sophia

 

“Eu me preparei”
Há 18 anos, quando foi mãe pela primeira vez, Claudia Raia sabia exatamente o que estava fazendo. “Eu me preparei e planejei o nascimento dos meus dois filhos”, conta a atriz e bailarina, à época casada com o ator Edson Celulari. Quando Enzo nasceu, Claudia teve a chance de se afastar longamente do trabalho. “Amamentei tanto ele quanto a Sophia até um ano de idade”. Apesar do planejamento, Claudia conhece os desafios de conciliar a profissão com a maternidade e brinca que, por vezes, quis “pegar um táxi para a lua”. “Temos um mundo cada vez mais dinâmico, cobranças cada vez maiores no campo profissional e conciliar isso com o lado maternal, com a criação dos filhos — é muito difícil. A sensação é de nunca estar cumprindo eficientemente os dois papéis”, revela. A visibilidade pública, no entanto, não trouxe mudanças na educação dos filhos. “Acredito que eu passo para os meus filhos os mesmos valores de responsabilidade, generosidade e justiça que a maioria dos pais que conheço”. Ainda assim, ela sempre ressaltou a importância de “manter os pés no chão”, no sentido de garantir que Enzo e Sophia “não se deixem enganar pelas facilidades de uma fama alcançada pelos pais deles”. O segredo, de acordo com Claudia, é o diálogo aberto: “Essa troca é fundamental para que eles se sintam seguros e lidem bem com esse universo”.

Divulgação
A atriz Arlete Salles é mãe de dois: Alexandre e Gilberto (foto: Divulgação)


Arlete Salles
Ocupação: atriz
Filhos: Alexandre e Gilberto

“Depois da televisão, tudo melhorou”
O primeiro filho de Arlete Salles, Alexandre Barbalho, nasceu em Pernambuco, quando a atriz morava na capital, Recife. E não foi nada fácil. “Um sentimento de culpa constante, por deixá-lo em casa para ir trabalhar. As coisas eram bem mais simples e difíceis. Chorava filho de um lado, a gente chorava para o outro”, recorda-se Arlete, uma das mais consagradas artistas da televisão e do teatro brasileiro.  Casada com o ator Lúcio Mauro, e já no Rio de Janeiro, a segunda gravidez contou com uma estrutura melhor: “Depois da televisão, tivemos um pouco mais de conforto. E eu ainda tinha a chance de correr em casa durante as gravações”. Apesar da melhora financeira, Arlete sempre soube que o diferencial na educação não seria material: “A grande estrutura da vida é o amor. E isso não faltou. Meus filhos são pessoas boas”.  O reconhecimento público provocou algumas situações inusitadas, principalmente durante a adolescência dos meninos. “Eles não gostavam de se sentir diferentes. Então, me proibiam de buscá-los em festas ou no ônibus escolar; eu tinha que ir escondida”, conta, aos risos. Depois, claro, tudo mudou. “Logo passaram a ter orgulho dos pais famosos”.  E a consagração dos “pais famosos” acabou por influenciar as duas gerações seguintes. O filho Alexandre se tornou ator, assim como o neto, Pedro. “Quero ir para o palco com eles. Já pensou que encontro? Será de uma emoção sem fim.”

Instagram / Reprodução
Rosa Passos e a filha Julianna (foto: Instagram / Reprodução)


Rosa Passos
Ocupação: cantora
Filhos: Alexandre, Leonardo e Julianna

“A carreira teve que esperar”
O primeiro disco de Rosa Passos saiu em 1979. Ela já era mãe de Alexandre e Leonardo. E achou que deveria priorizá-los, acima de tudo. “Fui me dedicar a eles. Minha caçula, Julianna, nasceu em 1981. Passei os anos 1980, envolta pela maternidade”, relembra. O segundo disco, Curare, foi lançado somente doze anos depois, em 1991. “Quando comecei a viajar, eles já eram adolescentes. Fiquei bem mais tranquila”, conta Rosa, uma das mais prestigiadas cantoras brasileiras no exterior. E ela não se arrepende de ter aguardado um melhor momento para se debruçar sobre a música. “Enquanto eles eram menores, eu não deixei o canto de lado. Encarei a noite de Brasília, conheci meus parceiros. A noite foi uma grande escola e me trouxe amadurecimento artístico.”  Logo, Rosa foi descoberta pela crítica e pelo público. O sucesso internacional veio antes, inclusive. “Foi ótimo, pois, como meus filhos já eram mais velhos, eles puderam me acompanhar nas viagens. Ajudavam-me com a tradução, com a imprensa. Eram roadie-filhos”, brinca a artista.  Apesar de terem sido expostos ao melhor da música, “principalmente jazz”, nenhum dos herdeiros de Rosa enveredou pela arte. “Sofri muito para chegar aqui. Talvez por isso eles tenham preferido outros caminhos”, afirma. Nada que a desaponte. Pelo contrário: “Estão todos preparados para a vida e curtindo muito a mãe cantora. É uma delícia!”

Instagram / Reprodução
Regina Casé com a filha Benedita, à esquerda, e o filho Roque, no colo (foto: Instagram / Reprodução)


Regina Casé
Ocupação: diretora, apresentadora e atriz
Filhos: Benedita e Roque

“Meu melhor papel”
Quando começou a se imaginar como avó, eis que Regina Casé se tornou mãe pela segunda vez. “Eu e o Estevão (Ciavatta, marido da apresentadora) sempre sonhamos  adotar uma criança. O surpreendente é que há tempos tentamos e, por muitos motivos, não conseguimos. Quando pensamos que não aconteceria, a vida nos deu de presente o Roque”.  Irmão de Benedita, 25 anos, Roque renovou a vida da apresentadora e atriz. “Hoje em dia, não consigo imaginar como vivíamos sem a maravilha que é o nosso filho”, celebra Regina, que faz questão de ter a companhia dos herdeiros sempre que possível, mesmo durante a rotina de trabalho. “Considero-me abençoada por ter a possibilidade de levá-los comigo a quase todos os compromissos da minha profissão.”  A apresentadora admite a intervenção da fama na criação dos filhos, mas tenta “levar da maneira mais normal e real possível”. Ao contrário de alguns colegas, que optam pela descrição, Regina prefere lidar diretamente com o assunto: “Vejo que muitos artistas tentam esconder os filhos, evitar qualquer exposição. Comigo isso seria impossível. Na minha vida está tudo junto e misturado”.  Os planos de avó foram adiados, por enquanto. A maternidade, no entanto, parece preencher bem a jornada pessoal da artista: “Adoro ser mãe. Acho que é um dos melhores, senão o meu melhor papel que exerci até hoje”.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS