Eid Ribeiro dirige 'Migrações de Tennessee', peça que estreia nesta quinta

Espetáculo fica em cartaz até 3 de maio, na Funarte

por Carolina Braga 22/04/2015 07:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Guto Muniz/Divulgação
(foto: Guto Muniz/Divulgação )
Dos autores que estiveram em atividade nos anos 1940 e 1950, Tennessee Williams foi o que mais chamou a atenção do diretor mineiro Eid Ribeiro. “Acho que é o melhor autor norte-americano da geração dele. Retrata o fim de uma maneira muito sensível”, comenta. 'Migrações sobre Tennessee', novo trabalho dirigido por Eid, é um mergulho na obra do autor das peças 'Um bonde chamado desejo' e 'Zoológico de vidro'.


Eid Ribeiro recebeu o convite dos atores Camila Morena, Cristiano Peixoto, Fábio Furtado e Juliana Martins para fazer a montagem que estreia amanhã, na sede da Funarte. Embora com pesquisas em diferentes áreas do teatro, os quatro tinham em comum o fato de serem atores independentes depois de larga experiência em grupo.

Quando resolveram se unir para voltar ao palco, pensaram primeiro em trabalhar o texto de Pirandello 'Seis personagens à procura de um autor'. “Percebemos que a transposição daquele texto não estava atendendo aos nossos anseios. Fomos atrás de outros”, conta Fábio. Por sugestão do diretor, se encontraram com a obra de Tennessee.

A equipe criativa leu pelo menos 49 contos, várias peças curtas e poesias até se dar conta de que a peça que todos procuravam fazer estava neste vasto material, de diferentes formatos. O próprio Eid Ribeiro cuidou da dramaturgia. “São fragmentos que a gente misturou. Chega a ser um apanhado da vida dele, a posição política, filosófica e artística”, conta.


Como Fábio Furtado conta, 'Migrações sobre Tennessee' se divide em duas partes. A primeira retrata o núcleo familiar e as relações que contribuíram para constituir a personalidade do americano. “A segunda é quando esse homem de teatro conhece o universo mais marginal dos personagens que retrata tão bem”, detalha o ator.


Cada ator faz dois personagens. O cenário é composto por pequenos elementos que representam um pouco cada um deles. “Não é uma peça totalmente realista, tem alguns elementos mais contemporâneos nas ligações de cenas”, conta Furtado. O recurso da projeção é usado para definir a mudança das duas fases do espetáculo.


Para Eid Ribeiro, durante o processo de criação, uma das experiências mais interessantes foi a troca real estabelecida com o elenco. “Foi uma coisa bem diferente para mim, um modo de criação bem mais aberto. Tem um distanciamento crítico, um narrador, teatro psicológico, dança. Estou satisfeito com o resultado”, afirma o diretor.

 

Migrações de Tennessee
Desta quinta a 3 de maio, de quinta-feira a domingo, às 20h, na Funarte MG (Rua Januária, 68, Centro). Ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada). Infomações: (31) 2516-5098.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS