Relembre obra de Tomas Tranströmer, vencedor do Nobel de Literatura, morto aos 83 anos

Vítima de AVC, poeta sueco conquistou honraria máxima em 2011

por AFP 27/03/2015 19:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
AFP PHOTO / JONATHAN NACKSTRAND
(foto: AFP PHOTO / JONATHAN NACKSTRAND )
Morreu nesta quinta-feira, 26, aos 83 anos, o poeta sueco Tomas Tranströmer, Prêmio Nobel de Literatura 2011. Tranströmer, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) em 1990, já estava com a saúde bastante debilitada na época em que recebeu o prêmio pela Academia sueca. Ele morreu na quinta-feira, segundo a Fundação Nobel. "Entristecidos ao saber da morte do poeta sueco Tomas Tranströmer, que faleceu ontem", tuítou.

"Triste notícia. O poeta sueco e Prêmio Nobel Tomas Tranströmer nos deixou. Mas suas palavras nunca vão morrer", reagiu no Twitter o ministério das Relações Exteriores. O anúncio do Prêmio Nobel em 2011 a Tomas Tranströmer surpreendeu, uma vez que o homem era pouco conhecido fora dos círculos de amantes da poesia.

Ele foi o sétimo sueco agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura, depois de Eyvind Johnson e Harry Martinson, em 1974, e o primeiro poeta depois da polonesa Wislawa Szymborska, em 1996. Tranströmer estava na lista de candidatos ao prêmio desde 1993. A obra de Tranströmer foi traduzida para mais de 60 idiomas e o escritor era conhecido por sua escrita simples e clara, com uma presença especial da metáfora.

"A maioria das coleções de poesia de Tranströmer são marcadas pela economia, a qualidade concreta e metáforas expressivas", explicou a Academia. "Nós somos gratos por toda a riqueza que nos foi dada por Tomas Tranströmer. Ela vai viver", escreveu no Twitter o ex-primeiro-ministro (1991-1994) Carl Bildt.

"É um tesouro nacional para nós de certa maneira. Sua importância para a poesia sueca não pode ser exagerada", disse à agência de notícias TT uma poetisa sueca, Eva Ström. Nascido em 15 de abril de 1931, em Estocolmo, Tomas Tranströmer foi criado por sua mãe depois de um divórcio em sua infância. Ele demonstrou muito cedo um forte interesse pela literatura, e nutriu sua inspiração pela natureza ao redor da capital sueca.

Posteriormente, dedicou-se a motivos mais obscuros, pessoais e metafísicos em busca da transcendência e da compreensão do indizível. Pós-graduado em psicologia em 1956, trabalhou no Instituto de Psicologia da Universidade de Estocolmo, antes de trabalhar em 1960 com jovens delinquentes em um instituto especializado.

Enquanto escrevia seus poemas, trabalhava com deficientes, presos e viciados em drogas. Era um entusiasta do piano e teve duas filhas. Duas polêmicas que não o envolveram pessoalmente acabaram por marcar o Nobel em 2011. Seu nome havia aparecido no último momento entre os favoritos entre os apostadores, levantando suspeitas de um vazamento de sua vitória. Dois dias depois, um procurador anticorrupção declarou que investigaria a questão, mas não encontrou nada para incriminar ninguém. Além disso, um site falso do Prêmio Nobel anunciou a vitória do Dobrica Cosic, um escritor nacionalista sérvio controverso.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS