'Dois perdidos numa noite suja' vira musical com músicas do Capital Inicial

Clássico do escritor Plínio Marcos foi adaptado pelo diretor Fernando Bustamante

por Carolina Braga 27/03/2015 09:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Allan Calisto/Divulgação
Theo Valadares em cena de 'Dois perdidos numa noite suja' (foto: Allan Calisto/Divulgação)
Espetáculo de formatura de uma escola de musicais, 'Dois perdidos numa noite suja' parece ser opção controversa. E é. Escrita em 1966 por Plínio Marcos, a peça é um clássico das artes cênicas do país. De maneira atemporal, revela conflitos sociais brasileiros em plena ditadura. “O caminho que a gente vem tentando traçar é o do teatro realmente forte, pois muitas vezes a música acaba em primeiro plano”, explica o diretor Fernando Bustamante.

Sob a orientação dele e de Polyana Horta, a peça que estreia nesta sexta-feira no Teatro Nossa Senhora das Dores cumpre essa missão com outro elemento curioso. Ao contar a história de Paco e Tonho, a dramaturgia usa canções da banda de rock Capital Inicial. A combinação pode soar esquisita, mas funciona. Além dos atores Alex Alves e Theo Valadares, sobe ao palco a banda formada por Fred Natalino, Yan Vasconcellos, Bo Hilbert e Kenedy Neves, responsáveis pelos arranjos. A trama se passa em um quarto pobre de pensão. Os músicos ficam ao fundo.

Em busca de um modo próprio de fazer musical em Minas, Bustamante, com trajetória reconhecida no mercado infantil, confessa: pisa em ovos quando o assunto é montagem adulta. Desta vez, ele se permitiu experimentar. Sua concepção intimista tem até cheiro de café e de miojo, “elementos cênicos” que reforçam as sensações que ele deseja despertar na plateia.

A ideia de encenar Plínio Marcos foi de Polyana Horta. “Pensei: ‘Nossa, como vamos fazer isso?’. Voltando de uma viagem ouvindo o disco 'Capital Inicial acústico', percebi que as canções traziam tudo o que a peça fala”, conta. Ditos de outra maneira, claro, os conflitos dos personagens estão nas letras da banda de Dinho Ouro Preto. “Até a relação com o sapato”, completa Polyana.

O repertório de 18 canções traz hits como 'Primeiros erros', 'À sua maneira', 'Natasha', 'Psicopata', 'Veraneio vascaína', 'Sob controle' e 'O mundo', além do “lado B” da banda. Como o que interessa a Bustamante é apostar no musical – em que a exclusão de números cantados torna o texto incompreensível –, fragmentos dos escritos de Plínio Marcos foram substituídos por canções. “O resultado é crível. Não ficou forçado”, garante o diretor.

DOIS PERDIDOS  NUMA NOITE SUJA
Um drama musical brasileiro
Sexta-feira e sábado, às 21h; domingo, às 19h. Teatro Nossa Senhora das Dores, Avenida Francisco Salles, 77, Floresta, (31) 2127-3369. Ingressos: R$ 20 (inteira), R$10 (meia) e R$ 8 (posto do Sinparc).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS