Memorial da Anistia Política do Brasil recebe doações

Além do acervo do casal militante Walkíria Afonso Costa e Idalísio Soares Aranha Filho, memorial receberá as coleções completas da revista Circus e do jornal De fato

por Ailton Magioli 24/03/2015 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Em ato público nesta terça-feira à noite, no Bairro Santo Antônio, Centro-Sul de Belo Horizonte, o Memorial da Anistia Política do Brasil, que está sendo montado no local, receberá as primeiras doações para o futuro acervo da entidade sobre um dos períodos mais turvos da história brasileira: o regime militar (1964-1985).

Além do acervo do casal militante Walkíria Afonso Costa e Idalísio Soares Aranha Filho, desaparecido na guerrilha do Araguaia, o memorial receberá as coleções completas da revista Circus e do jornal De fato, ambos editados na capital mineira, em plena ditadura militar.

Editor das duas publicações, o jornalista Aloísio Morais lembra que, na época, ele ainda foi responsável pela publicação do jornal Vapor que, programado para ser mensal, acabou limitado a raríssimas edições.

“Em 1972, Virgílio Guimarães assumiu o Diretório Central dos Estudantes (DCE), da UFMG, e teve a ideia de comprar uma impressora off-set, levando o movimento estudantil do mimeógrafo diretamente para o off-set”, recorda o jornalista, que, chamado para editar o jornal Gol a Gol – Se pegar com o pé é drible acabou convocando o amigo Rodrigo Leste, ator e diretor de teatro, para dividir com ele o trabalho.

Com o atraso da primeira edição daquele jornal estudantil, que ficou pronta apenas no período de férias escolares, os dois resolveram vender os exemplares para evitar que fossem para o lixo. Com o dinheiro recolhido criaram o Vapor, jornal que circulou de janeiro a novembro de 1973. Daí para a criação da revista Circus foi uma questão de tempo, com a publicação limitada, porém, a três únicas edições, que circularam entre 1974 e 1975.

Uma entrevista com o atual diretor teatral Luiz Carlos Garrocho, que havia desistido de integrar a Tradição Família e Propriedade (TFP) na época e uma grande reportagem sobre a atuação socioeconômica do empresário

Antonio Luciano Pereira Filho (1913-1990), que constituiu riqueza no comando de uma rede de cinemas na cidade, acabaram responsáveis pelo fim da publicação, que ganharia, então, repercussão nacional.

Segundo Morais, submetida à censura prévia, a Circus teve seu último número recolhido e a capa carimbada com a expressão “veto”, transformando-se em raridade. Com o know-how adquirido na área, Aloísio Morais e Rodrigo Leste criaram o jornal De Fato, cuja circulação foi limitada ao período de janeiro de 1976 a outubro de 1978. Entre todas, esta é a única disponibilizada via internet no endereço http://jornaldefato.una.br/jornaldefato/. (AM).

MEMORIAL DA ANISTIA POLÍTICA DO BRASIL

Nesta terça-feira, às 19h, no Coleginho da antiga Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) da UFMG (Rua. Carangola, 300, Santo Antônio). Ato simbólico das primeiras doações de acervos à entidade, que se responsabilizará pela memória do regime militar na cidade. Entrada franca.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS