'Conto de verão', de Domingos de Oliveira, chega pela primeira vez a BH

Felipe Simas, João Vithor Oliveira, Júlia Oristanio e Ana Vitória Bastos sobem ao palco do Teatro Bradesco neste domingo

por Jefferson da Fonseca Coutinho 20/03/2015 08:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Felipe Roque/divulgação
(foto: Felipe Roque/divulgação)
Há um vazio entre o teatro para crianças e o teatro adulto. Faltam bons textos e realizadores dispostos a fugir dos clichês. A diretora Bia Oliveira está atenta aos desafios e deficiências da cena nacional. A atriz, pedagoga e professora carioca traz a Belo Horizonte, ao Teatro Bradesco, 'Conto de verão'. Romântica, com 32 anos de experiência na salas de aulas de literatura e de língua portuguesa, Bia se orgulha da peça, pela primeira vez na capital mineira. “O texto é uma concepção de amor e amizade eternos. Não tem idade para a plateia. É para o público dos 8 aos 100 anos. Quem não passou pelas situações do espetáculo vai ter vontade de viver. E quem já viveu vai relembrar e reviver com muita emoção”, garante. A peça, escrita e revisitada pelo dramaturgo Domingos de Oliveira, tem como enredo o encontro de quatro adolescentes em temporada de férias. No palco, Felipe Simas, João Vithor Oliveira, Júlia Oristanio e Ana Vitória Bastos.

O jovem elenco ganha a vida também com a televisão, com Malhação e Boogie Oogie. Conto de verão estreou no Rio de Janeiro, no Dia dos Namorados de 2012. Depois de temporada no Teatro dos Grandes Atores, na Barra da Tijuca, a trupe tem se apresentado em várias partes do Brasil. De acordo com Bia, diretora de atores, o grupo vem ganhando ainda mais força no palco, na troca com as plateias. A atriz destaca o trabalho na preparação do elenco, com encontros fundamentais com o autor. “Domingos está com 78 anos. Foi muito importante para o processo, para a compreensão das metáforas, os vários encontros que o grupo teve com ele”, diz. Para Bia, o trabalho de mesa, o semestre debruçado no entendimento das nuances e das entrelinhas nos ensaios, ajudou consideravelmente para que o trabalho alcançasse a qualidade defendida por ela.

“Eu me realizo em cada um desses meninos”, ressalta. Intérprete “adormecida” desde 2004, Bia fala com gosto e emoção sobre as entregas que ela conhece bem dentro da quarta parede. Paixão, agora, compartilhada nas salas de aula de sua escola para atores, na Região Oeste do Rio de Janeiro. Ela espera voltar à cena para matar a saudade, embora se mostre feliz nos bastidores. “Dirigir é tão fascinante ou mais que estar ali, é dasafiador, é um caminho de muitos perigos”, considera.

A criadora revela que também tem textos teatrais guardados. Crítica e criteriosa, Bia aguarda o melhor momento para trazê-los à luz. Enquanto os novos trabalhos se fortalecem campo de ideais, a diretora deixa o Rio de Janeiro para ver de perto, em Belo Horizonte, a performance de seus pupilos globais. Conto de verão tem duas sessões no domingo, às 18h e às 20h.

CONTO DE VERÃO
Domingo, às 18h e às 20h. Teatro Bradesco, Rua da Bahia, 2.244, Lourdes. Ingressos: R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia-entrada). Informações: (31) 3654-6897. Classificação: 12 anos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS