Casarão prestes a ser demolido vira centro cultural temporário em BH

De abril a junho, o público terá acesso a cursos, galeria de arte, área coletiva de trabalho, bar e loja com produtos de designers mineiros

por Fernanda Machado 08/03/2015 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Guilherme Sânzio/ divulgação
Henrique Parizzi, Dudu Obregon, Irene do Carmo, Leo Duarte, Lucas e Bruno Duraes e Zé preparam intervenções no casarão da antiga Alfaiataria Hermano, que fica na Rua Santa Rita Durão, em BH (foto: Guilherme Sânzio/ divulgação)

Belo Horizonte perde mais uma casa para ganhar um prédio. O belo imóvel, no Bairro Funcionários, já foi pizzaria e residência familiar, mas ficou famoso por abrigar a Alfaiataria Hermano – ícone da elegância mineira. Antes de ir abaixo, o casarão da Rua Santa Rita Durão funcionará durante três meses como espaço de arte, gastronomia, moda, tatuagem e literatura.

O projeto pop-up, com programação temporária, surgiu da parceria entre a Blade Alfaiataria, que pertence a Marcelo Blade, filho de Hermano, com o Guajajaras Coworking e a Perestroika – escola livre de atividades.

De abril a junho, o público terá acesso a cursos, galeria de arte, área coletiva de trabalho, bar e loja com produtos de designers mineiros. O espaço se chama A Alfaiataria.

A iniciativa homenageia o antigo proprietário, Hermano Augusto do Carmo, que morreu aos 80 anos, em 2013. ‘’A nossa ideia é dar visibilidade principalmente a novos nomes ligados à cultura na cidade’’, conta Lucas Durães, um dos idealizadores do projeto e neto de Hermano. A curadoria ficou por conta do Quarto Amado, galeria de arte contemporânea de BH. A cada 15 dias, o grupo convidará estilistas, artistas plásticos e designers para expor.

Para reviver os bons tempos daquele casarão cheio de histórias, uma área de bar foi pensada para lembrar os anos 1980. ‘’O murinho era ponto de encontro de muita gente. Lá, o pessoal do bairro se encontrava para o happy hour. Vamos manter a base original”, conta Lucas. Ou seja: todo mundo vai poder se sentar no simpático murinho, como antigamente, e degustar drinques e petiscos. O cardápio é assinado pelo Meet Me Bar.

FUTURISMO Para os workshops, o coletivo cultural gaúcho Perestroika, que atua em sete capitais, prepara cinco cursos nas áreas de futurismo e tecnologia, processos criativos, negócios de moda, gestão, comportamento e tendências. Entre os convidados para palestras estão confirmados os rappers Criolo e MV Bill e o ator e escritor Gregório Duvivier.

A Alfaiataria surgiu de um processo colaborativo. Para reformar o imóvel foram idealizadas três ações. O jornalista Bernardo Biagioni e o artista Luís Matuto comandarão curso de arte. Os integrantes do Coletivo Cultivado em Casa serão responsáveis por workshop que ensina a planejar mobiliários de maneira sustentável. Luiza Soares e Daniel Romero darão aulas de paisagismo e jardinagem. O valor de cada curso é R$ 250. O valor será destinado à compra de material e cachês dos professores.

A ALFAIATARIA

Programação de abril a junho. Rua Santa Rita Durão, 153, Bairro Funcionários. Programação completa: www.alfaiataria.cc


SAIBA MAIS

O mestre da tesoura

Nascido em Pirapora, Hermano Augusto do Carmo (1933-2013, foto) decidiu se dedicar à costura aos 16 anos. O jovem mineiro não queria ser sapateiro nem trabalhador braçal. Ele aprendeu o ofício em sua terra, mudou-se para BH e estabeleceu-se como alfaiate em um ateliê na Praça Sete. Hermano conquistou clientela respeitável. Seus ternos elegantes, bem cortados e impecáveis, eram usados por homens do poder, como o presidente da República Tancredo Neves, os vice-presidentes José Alencar Gomes da Silva e Aureliano Chaves, e os governadores Antonio Anastasia, Hélio Garcia e Rondon Pacheco.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS