Movasse propõe diálogos múltiplos para a dança

Projeto 'Movasse & parceiros em cena' levará ao palco do Teatro Alterosa iniciativas inéditas em teatro, música e dança

por Carolina Braga 05/03/2015 08:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Guto Muniz/divulgação
'Playlist' volta ao cartaz no domingo, com convidados especiais (foto: Guto Muniz/divulgação)
Antes de fazer as malas e partir para os 86 dias de viagem para participar do festival Palco Giratório, no fim de abril, o Coletivo Movasse promove em BH um evento que tem muito a ver com sua essência: fomentar encontros. De hoje a domingo, o projeto 'Movasse & parceiros em cena' levará ao palco do Teatro Alterosa iniciativas inéditas em teatro, música e dança. “Nossa filosofia é transitar por diversos lugares. É uma forma de fazer com que essas áreas estejam coabitando um mesmo espaço”, explica a bailarina Andréa Anhaia. O evento será aberto esta noite com a estreia de Para desacreditar no amor, espetáculo dirigido por Mariana Muniz, com Ana Regis, Fabiana Loyola e Ramón Coelho.


Amanhã, os músicos Kiko Klaus, Rafael Martini, Pedro Durães e Xande Pires vão apresentar uma obra em processo, 'O homem pós máquina', embrião de um futuro disco. “Essa estreia mescla linguagem sonora com visual”, adianta Andréa. O videocenário elaborado por Xande Pires estará sujeito a intervenções dos artistas.

Sábado, o Dança Jovem apresentará duas coreografias inéditas: 'Quem com o quê' foi motivada por questões filosóficas, enquanto Em '#todolugar' aborda diferentes visões sobre o amor com trilha sonora que reúne clássicos do brega. Na mesma noite, Cibele Maia e Luciana Lanza estreiam 'Monumento – terceiro estudo sobre legado'.

Domingo, volta ao cartaz Playlist, do Movasse, com improvisações. Sônia Mota, Mário Nascimento e Jomar Mesquita são os convidados da noite. Pela manhã, mesa de debates discutirá políticas públicas dedicadas à dança. “Nosso setor está precisando de fomento”, afirma Andrea Anhaia. Foram convidados Angelo Oswaldo, secretário de Estado de Cultura, e Leônidas Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura (FMC). (CB)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS