Fim do Ballet Jovem Palácio das Artes gera protestos

Artistas do teatro e da dança se manifestaram nas redes sociais em protesto contra o fim da companhia

por Carolina Braga 04/03/2015 16:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Alessandro Gomes
(foto: Alessandro Gomes)
O anúncio feito na manhã desta quarta-feira, 4, do fim das atividades do Ballet Jovem Palácio das Artes repercutiu rapidamente na rede e logo surgiu a campanha #ficaballetjovempalaciodasartes. A hashtag de protesto tem sido compartilhada por artistas do teatro e da dança, todos ainda incrédulos com a decisão. O fim da companhia pegou os bailarinos de surpresa.
 
Em nota, o presidente da Fundação Clóvis Salgado, Augusto Nunes-Filho, afirma que o "Ballet Jovem Palácio das Artes é um projeto financiado por mecanismos de incentivo à cultura, a exemplo da Série Concertos no Parque, do FestCurtasBH e das temporadas de ópera. Infelizmente, apesar dos nossos esforços, não houve captação de recursos suficientes para a manutenção desse projeto".
 
 Ainda segundo o comunicado oficial, está sendo planejada uma profunda reformulação do ensino no Centro de Formação Artística. O Ballet Jovem era um projeto de extensão curricular. Ao longo dos oito anos de atividades, contribuiu para a formação de novos bailarinos. Estar no Ballet Jovem era oportunidade para jovens a partir de 15 anos ter a vivência de uma companhia profissional.
 
Desde 2007, pelo menos 120 bailarinos passaram pelo Ballet Jovem. Muitos deles hoje atuam em companhias profissionais, como Grupo Corpo, Balé da Cidade de São Paulo, Cia de Diadema, Sesc Cia de Dança, Balé Teatro Castro Alves, Quasar Cia de Dança, Balé do Teatro Guaíra, Cia Mário Nascimento, Ballet Black (Londres), Baltic Dance Theater Opera Baltycka ( em Gdansk, Polônia) , entre outras, além da própria Cia de Dança Palácio das Artes.
 
"Tive o prazer de trabalhar no Ballet Jovem Palácio das Artes como preparador teatral. Anos de muito trabalho e compromisso com a dança e a arte. Recebo a notícia do fim da Cia. com profunda tristeza", publicou o ator Claudio Dias, integrante da Cia Luna Lunera.
 
Colaboradora do Grupo Primeiro Ato, a produtora Regina Moura também se manifestou. " A gente não quer só comida. .." Sr Pimentel, é assim que percebe a cultura? Joga fora um acervo imaterial... um trabalho precioso e que trouxe a jovens artistas o direito e o espaço da profissionalização, o de criar e dar ao público o acesso ao direito cultural garantido em constituição. Onde está a decência e o respeito com o trabalho do artista e com a dança? Onde vamos parar? Será que o projeto de sociedade da sua gestão esbarra no tecnicismo e deságua no abismo da não prioridade da cultura? Não era o que eu esperava", afirmou na rede.


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS