Mulher-Gato sai do armário e assume que é bissexual

Depois de Batwoman e Lanterna Verde, outro personagem da D.C. Comics reforça luta da editora contra o preconceito

por Luiz Prisco 02/03/2015 11:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
DC Comics/Reprodução
Beijo está na revista 39 da heroína (foto: DC Comics/Reprodução)
O mundo dos quadrinhos busca, cada vez mais, uma aproximação com os grupos LGBTs. Na D.C. Comics, a tentativa está evidente. Depois da Batwoman se assumir lésbica e o Lanterna Verde revelar que é gay, a Mulher-Gato saiu do armário e confirmou a bissexualidade.

Na nova revista da heroína ('Catwoman #39'), ela beija outra mulher e confirma um rumor que, por muito tempo, habitou o imaginário dos leitores. "Ela sempre flertou com isso. Para mim, isso não é uma revelação, está mais para uma confirmação", afirmou Genevieve Valentine, a escritora da história, em seu blog.

Na história, a Mulher-Gato, cujo o nome verdadeiro é Selina Kyle, está em guerra contra uma família de Gotham City. Nesse período, ela conhece Eiko, com quem compartilha a identidade secreta. As duas então vivem um romance e, na cena mais importante, se beijam.

"Eiko parece ser a pessoa certa: inteligente e mergulhada nesse misterioso mundo da Mulher-Gato. Ela sabe o suficiente sobre Selina, que sua honestidade é um abrigo em uma situação que fica cada vez mais desonesta", comentou Valentine.

Surpresa?

Ao falar sobre o beijo, Valentine deixou claro que o fato não tem nada de "chocante". "Era uma surpresa para quem? Certamente não era uma novidade para Selina que ela tenha atração por mulheres. Esse beijo é uma surpresa? Sim, pois essa demonstração de afeto é a última coisa que se espera em meio a uma guerra."

A autora também fez questão de mencionar que o relacionamento da Mulher-Gato com Batman não foi encerrado por conta do beijo em Eiko. "Não é assim que a bissexualidade (ou a humanidade) funciona", diz.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS