Premiada com 'Boa sorte', Deborah Secco' comemora o bom momento de sua carreira

Em cena desde os 8 anos, atriz avisa: "Ainda tenho muita coisa a aprender". Secco apresenta peça em BH neste fim de semana

por 12/12/2014 09:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Leo Fuchs/divulgação
Deborah Secco volta a interpretar Lia e contracena com Marcos Mion na peça 'Mais uma vez amor' (foto: Leo Fuchs/divulgação)
Deborah Secco é Inês, a batalhadora aeromoça da novela 'Boogie Oogie'. É também Judite, a soropositiva do filme 'Boa sorte'. E Lia, protagonista da peça 'Mais uma vez amor', em cartaz no fim de semana em Belo Horizonte. A atriz carioca, que começou a trabalhar ainda criança fazendo publicidade, não nega: está vivendo um momento especial.

“Graças a Deus, está a maior correria. Tudo está bombando. A gente tem que se desdobrar com essa coisa de trabalhar no cinema, no teatro, na televisão e ainda viver personagens tão distintos. Isso é bom”, celebra.

A agenda anda tão atribulada que não é fácil conseguir uma brecha para entrevistar Deborah. Ela se divide entre as gravações de 'Boogie Oogie', trama das seis da TV Globo, eventos e reuniões de trabalho e a divulgação do longa 'Boa sorte'. Nesse filme dirigido por Carolina Jabor, a atriz interpreta a soropositiva Judite, dependente química. À beira da morte, ela se envolve com o adolescente João (João Pedro Zappa).

Desde a estreia, no fim de novembro, o filme tem recebido excelentes críticas. Muito elogiada, a atuação de Deborah lhe rendeu o respeitado Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) na categoria atriz de cinema.

“'Boa sorte' é muito especial nessa fase da minha vida, uma conquista mesmo. Coproduzi o filme, quis fazê-lo e me dediquei demais ao projeto”, revela. “As pessoas vêm falar comigo, me escrevem no Twitter e no Instagram, estão se mostrando muito encantadas. Fora a crítica me elogiando. É tanta coisa!”, diz ela, contando que não esperava tamanha repercussão do trabalho.

A empreitada trouxe mudanças profundas, não apenas físicas. Deborah chegou a emagrecer 11kg para interpretar Judite. “Perder peso foi o de menos. Lidei com questões muito maiores e mais complexas. Ela mexeu demais comigo e me fez pensar sobre a finitude, a consciência da morte. Não importa o que você faça. A guerra está perdida desde que a gente nasce. A única certeza é: vamos morrer. Uns mais jovens, outros mais velhos”, diz.

Se 'Boa sorte' foi experiência mais densa, 'Boogie Oogie' é a hora do recreio. Ambientada nos anos 1970, a novela de Rui Vilhena tem sido o momento de relax. “Estou me divertindo demais com a Inês. Não faço a menor ideia do que vai acontecer com ela. É uma personagem muito bacana, ainda há muita água pra rolar”, comenta. A atriz já está escalada para a próxima trama das 23h, de autoria de Walcyr Carrasco, prevista para abril. “'Boogie Oogie' deve acabar em março, então nem vou ter férias. Vou emendar um trabalho no outro”, conforma-se.

Deborah integra o elenco de dois filmes anunciados para 2015: 'Obra-prima', de Daniel Filho, e 'O troco', comédia de André Moraes em que vive uma atriz fracassada. “Amo cinema. Se pudesse, faria muito mais”, frisa. Seu currículo inclui 'Bruna Surfistinha', 'Meu tio matou um cara' e 'A cartomante'.

Deborah, de 35 anos, iniciou sua vida profissional aos 8. “Ainda tenho muita coisa para aprender. O que importa é o quanto a gente amadurece, evolui, e o que a gente fez. É isso que vale”, conclui.

Reencontro com Lia

Em 2010, Deborah Secco encarnou pela primeira vez Lia, personagem da peça 'Mais uma vez amor'. Ela dividia o palco com o ator Erom Cordeiro e a dupla ficou 18 meses em cartaz. No segundo semestre deste ano, a atriz decidiu retomar o espetáculo, que já contou com vários elencos e virou filme estrelado por Juliana Paes e Dan Stulbach.

“A montagem retrata um casal, durante muitos anos, em várias situações. Mostra os encontros e desencontros da vida. Não tem como o público não se identificar”, acredita Deborah, que desta vez divide a cena com Marcos Mion (Rodrigo).

“Cada ator traz uma verdade. Dificilmente vou reagir da mesma forma com quem está em cena. Erom e Marcos são ótimos profissionais e parceiros”, destaca.

“Gosto muito de fazer a Lia. Ela começa como uma garota cheia de vida, com muita ânsia de viver. Ao longo do espetáculo, descobre que a felicidade é muito mais fácil e simples do que pode imaginar”, diz Deborah.


Carreira
 
 
TV

1990 – 'Mico preto'
1994 – 'Confissões de adolescente'
1995 – 'A próxima vítima'
1996 – 'Zazá'
1999 – 'Suave veneno'
2000 – 'A invenção do Brasil'
2000 – 'Laços de família'
2001 – 'A padroeira'
2002 – 'O beijo do vampiro'
2003 – 'Celebridade'
2005 – 'América'
2006 – 'Pé na jaca'
2008 – 'A favorita'
2009 – 'Decamerão – A comédia do sexo'
2011 – 'Insensato coração'
2012 – 'Louco por elas'
2014 – 'Boogie Oogie'

Cinema

2001 – 'Caramuru: A invenção do Brasil'
2002 – 'Xuxa e os duendes 2'
2003 – 'Casseta e Planeta – A taça do mundo é nossa'
2004 – 'A cartomante'
2004 – 'Meu tio matou um cara'
2011 – 'Bruna Surfistinha'
2013 – 'Confissões de adolescente'
2014 – 'Boa sorte'

'MAIS UMA VEZ AMOR'
De Rosane Svartman. Direção: Ernesto Piccolo. Com Deborah Secco e Marcos Mion. Sábado, às 21h, e domingo, às 19h. Cine Theatro Brasil Vallourec, Praça Sete, Centro. Inteira: R$ 80 (1º lote) e R$ 100 (2º lote). Pontos de venda: bilheterias do Cine Brasil ou pela internet. Informações: (31) 3022-5511. Classificação: 14 anos

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS