Monólogo inspirado em Shakespeare estreia nesta terça no Teatro Espanca!

Montagem traz o clássico 'Macbeth' para a realidade das ruas do Centro de BH

por Carolina Braga 02/12/2014 09:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Glênio Campregher/Divulgação
Macaxeira surgiu da pesquisa da atriz Denise Lopes Leal com a população das imediações do Teatro Espanca! (foto: Glênio Campregher/Divulgação)
Quando a vontade é antiga, o sabor da conquista é maior. Por isso é nítida a felicidade da atriz Denise Lopes Leal ao falar sobre o primeiro espetáculo solo de Macaxeira. A personagem criada em 2010, ainda no curso de teatro do Centro de Formação Artística do Palácio das Arte, é a protagonista de 'Se essa rua fosse minha', estreia de hoje no Teatro Espanca!, que integra a Mostra Gandarela.


A montagem, com direção e dramaturgia de Juliana Pautilla e atuação de Denise, faz um paralelo entre a personagem Lady Macbeth, da peça de William Shakespeare, e a realidade das ruas de Belo Horizonte. “Tudo que tem ali é o que vivemos hoje, mas em outra dimensão. Tem a relação de poder, um querendo passar por cima do outro. Trazemos essa loucura da rua”, explica a atriz.

Macaxeira surgiu como um dos 16 personagens da peça 'Sua cabeça é a lei de Mac' (2010). Naquela altura, a vontade de continuar já existia. Denise tentou vários editais e nada de surgir a oportunidade. Foi a hora, então, de assumir os entreatos do Festival de Cenas Curtas. Bastou para Macaxeira cair no gosto do público frequentador do tradicional evento do Galpão Cine Horto.

'Se essa rua fosse minha' é o quarto espetáculo da carreira de Denise Lopes Leal. Ela é integrante da Cia. Quinta Marcha e atriz convidada do espetáculo À tardinha no Ocidente, do grupo Primeira Campainha. Fez também as cenas curtas 'Onde está Amarildo?' e 'Lady Mac(beth)xeira', que pode ser considerado embrião da nova montagem.

VOZ DAS RUAS
A temática do primeiro espetáculo solo de Macaxeira surge da experiência que Denise teve nas imediações do Teatro Espanca!, na Rua Aarão Reis, Centro de BH, próximo ao Viaduto Santa Tereza. Como trabalhava no local, começou a conviver com os moradores de rua da região e foi provocada por aquela realidade. “Fiquei com vontade de dar voz àquela situação”, conta. A cada contato, anotava as conversas, gravava depoimentos e transformava o material para a cena.

Além dos amigos feitos nas imediações da Praça da Estação, a atriz também pesquisou sobre a loucura, tema tratado na peça de Shakespeare. Mulheres como Estamira, que viveu e trabalhou em um lixão do Rio de Janeiro, e Stela do Patrocínio, interna da Colônia Psiquiátrica Juliano Moreira e descoberta como artista-poeta pela artista plástica Neli Gutmacher, também serviram de inspiração. Como o improviso sempre foi o forte de Macaxeira/Denise, o processo criativo lidou com fatos reais da cidade. A queda do viaduto na Av. Pedro I e o assassinato de Luiz Estrela são alguns dos casos abordados.

Os conflitos de Lady Macbeth formam o eixo dramatúrgico. Juliana Pautilla e Denise seguiram à risca o texto clássico, inclusive repetindo a estrutura dos atos e das cenas, porém no contexto que faz parte da vida da personagem: a rua. A ação começa do lado de fora do teatro, antes da entrada do público. Praticamente não há cenário, apenas muitas latas. Como a ideia é deixar as portas do teatro abertas, a verdade da rua complementa a encenação. Na semana passada, quando foi ensaiar, a atriz teve certeza de que a escolha estava certa. “Senti que o espetáculo nasceu. Dialogo com a rua o tempo inteiro”, conclui.

'Se essa rua fosse minha', um solo de Macaxeira
Com Denise Lopes Leal. De terça a domingo, às 21h, Teatro Espanca!, Rua Aarão Reis, 542, Centro, (31) 3657-7348. Entrada franca. Retirada de ingressos uma hora antes do espetáculo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS