Adriana Calcanhotto, Gregório Duvivier e Paula Pimenta atraem grande público na Bienal do Livro de Minas

Evento vai até o dia 23 no Expominas

por Carlos Herculano Lopes 15/11/2014 16:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
A 4ª Bienal do Livro de Minas, que vai dia 23, no Expominas, abriu o fim de semana com grande sucesso de público e bons momentos de interação entre leitores e seus escritores prediletos. Na tarde de sábado, milhares de pessoas de todas as partes do estado circulavam pelos estandes, comprando livros, ouvindo contação de histórias, assistindo a shows musicais e palestras do escritores convidados.

No Café Literário, completamente lotado, com muita gente do lado de fora inconformada por não poder entrar, a cantora e escritora Adriana Calcanhotto e o poeta e humorista Gregório Duvivier conversaram com o público e falaram sobre processo criativo, com mediação do escritor e professor de literatura Fabrício Marques.

Nascido no Rio, autor de Ligue os pontos –Poemas de amo e big-bang, Gregório Duvvier disse que, para ele, a poesia está em todos os lugares. "Ela pipoca em qualquer canto, como a vida. Sou um apaixonado pela poesia e pela língua portuguesa, que é meu instrumento de trabalho", disse Duvivier. Em seguida, sendo muito aplaudido pelo público, leu alguns dos seus poemas e ainda declamou um hai-kai anônimo, que disse ter lido em um muro de São Paulo: "Na casa do menino de rua/ o último a sair/ apague a lua".

A cantora, compositora e poeta Adriana Calcanhotto, que fez show ontem em Belo Horizonte, aproveitou a vinda à cidade para se encontrar com leitores e falar de sua relação com a literatura. Ela contou que começou a se ligar na literatura ainda na adolescência, o que se tornou uma paixão. "A poesia não está só na minha música, nos livros que escrevo, mas no meu cotidiano, na minha vida. Sei de cor até hoje alguns poemas que aprendi na infância", disse. No fim da palestra, na companhia de Duvivier, ela autografou Hai-kai Brasil, lançado pelas Edições de Janeiro.

Jovens

Quem também fez muito sucesso na tarde de sábado, com o Salão de Conferências completamente lotado e dezenas de fãs do lado de fora, foi a escritora mineira Paula Pimenta. As 400 senhas que davam acesso ao auditório, começaram a ser distribuídas às 10h e ao meio-dia já tinham acabado.

Autora da série Fazendo meu filme, lançada pela Editora Autêntica, Paula autografou seu mais recente livro, o volume de crônicas Apaixonada por histórias, recém-lançado pela Gutemberg. "Adoro a Paula, já li todos os seus livros e estou muito feliz por estar aqui. Também estou curtindo muito a bienal", disse Marcielle Guimarães Rodrigues, de 19 anos, estudante de design gráfico.

Outra que não cabia em si de felicidade por ter conseguido uma senha, foi a estudante Letícia Gabrielly Resende da Mata, de 13 anos, que veio de São Tiago, no Campo das Vertentes, especialmente para ver a escritora. "É a segunda vez que venho à bienal. Conhecer Paula Pimenta é uma coisa maravilhosa, inesquecível", disse Letícia.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS