Espetáculo 'Quando efé' mescla sonoridades, danças tradicionais e de rua

Montagem da Cia. Fusion de Danças Urbanas fica em cartaz na capital neste fim de semana

por Ana Clara Brant 14/11/2014 11:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fernanda Abdo/divulgação
(foto: Fernanda Abdo/divulgação)
A Cia. Fusion de Danças Urbanas está estreando seu quarto espetáculo. Depois de passar por Ipatinga, Uberaba e Uberlândia, chega a Belo Horizonte para apresentação no fim de semana, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). 'Quando efé' é o nome do novo trabalho, que mescla cultura mineira e hip-hop. O coordenador, diretor e idealizador do grupo e da montagem, Leandro Belilo, conta que a companhia está completando seu 12º aniversário e, por isso, queria criar projeto inédito. O nome veio de expressão muito usada por sua mãe e sua avó e significa “de repente” ou “até que”. “Queríamos muito falar sobre Minas e das coisas daqui. 'Quando efé' aproxima manifestações que podem, num primeiro momento, parecer antagônicas, mas que convivem de forma harmoniosa em uma cidade como Belo Horizonte: o rap, as danças urbanas e as batidas eletrônicas coexistem com modas de viola, congado e tambores mineiros. A inspiração veio de características culturais do estado como festas, sonoridades e danças tradicionais, o trabalho de ícones das artes cênicas, assim como a cena hip-hop”, analisa.


Como a turnê já percorreu algumas cidades do interior, os integrantes da Fusion puderam perceber como essa mistura está dando certo. “É uma combinação bem interessante e que vem dando resultado. Depois de BH, vamos para Divinópolis e Araxá e quem sabe depois seguir para outros estados e até outros países”, afirma.

A coreografia é criação colaborativa dos integrantes, sempre com coordenação de Leandro, que também foi responsável pela criação do cenário e do figurino, além de ter participado ativamente da concepção de trilha sonora e da elaboração da iluminação. O elenco conta com outros seis bailarinos: Augusto Rodrigues, Jefferson Siqueira, Jonatas Pitucho, Victor Alves, Wallison Culu e Walmor Calado. “Estamos nesse processo de criação e pesquisa desde janeiro e tivemos a colaboração do professor Reinaldo Martiniano Marques, do curso de letras da UFMG, que desenvolveu trabalho sobre a cultura no Vale do Jequitinhonha. Ele compartilhou conosco sua experiência, para que refletíssemos sobre o que é ser mineiro nos dias de hoje. O resultado é o espetáculo, que mescla a tradição das Gerais com a inovação da dança de rua”, resume.

A trilha foi composta por Matheus Rodrigues e Isadora Rodrigues, produtora artística e executiva das apresentações, e conta com a participação especial do Mestre Negoativo, líder da banda Berimbrown.

Trajetória A Cia. Fusion de Danças Urbanas surgiu em 2002, a partir da reunião de amigos que gostavam de dançar. O hobby foi ganhando cada vez maior importância, e o interesse pela pesquisa, discussão e divulgação da dança de rua cresceu o suficiente para que o grupo se profissionalizasse e passasse a propor novas formas de produzir essa modalidade artística. Além de 'Quando efé', o grupo tem no repertório os espetáculos 'Som', 'Matéria prima' e 'Meráki'.

'Quando Efé'
Espetáculo da Cia. Fusion de Danças Urbanas. Sexta e sábadohj, às 19h. Teatro 1 do Centro Cultural do Banco do Brasil, Praça da Liberdade, 450, Funcionários.  Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Informações: (31) 3431-9400

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS