Adriana Calcanhotto lança o livro 'Haicai do Brasil' no Sesc Palladium

Cantora fez um seleção de haicais de poetas brasileiros, lançando um olhar sobre a chegada do gênero de origem japonesa no Brasil até os dias atuais

por Ailton Magioli 27/10/2014 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Leo Aversa/Divulgação
Adriana Calcanhotto lança livro que mostra a presença do haicai na literatura brasileira (foto: Leo Aversa/Divulgação)
Adriana Calcanhotto tem encontro marcado com os fãs nesta segunda-feira à noite, no Sesc Palladium, onde vai autografar o livro 'Haicai do Brasil', que organizou e ilustrou, além de conversar com o público com mediação do conterrâneo Volnei Canônica. A cantora e compositora gaúcha também atua na área da literatura, tendo lançado recentemente a 'Antologia ilustrada da poesia brasileira – Para crianças de todas as idades'.

Para o novo livro, Adriana fez um seleção de haicais de poetas brasileiros, por meio dos quais lança um olhar sobre a chegada do gênero de origem japonesa no Brasil até os dias atuais. “Acredito que o haicai fez por aqui o mesmo percurso das sandálias Havaianas, que, mesmo criadas no Japão, se adaptaram muito bem ao país”, compara ela, que recorreu a autores como Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Paulo Leminski e Mário Quintana para revelar detalhes do estilo de poesia mais praticado no país.

“O haicai é a forma poética fixa mais sintética que existe. É a síntese da síntese”, resume Adriana Calcanhotto, que vai usar o violão para intercalar a leitura de haicais do livro que está lançando. A cantora anuncia que retornará a BH em 14 de novembro para nova apresentação do show Olhos de onda, desta vez no Palácio das Artes. Trata-se de disco de voz e violão, no qual, além de reler sucessos de carreira, apresenta as inéditas Motivos reais banais, E sendo amor e a que batiza o CD. Dona de estilo marcante de interpretação, ela ainda brinda o público com os hits Me dê motivo, de Michael Sullivan e Paulo Massadas, e Back to back, de Amy Winehouse.

ADRIANA CALCANHOTTO – HAICAI DO BRASIL

Nesta segunda-feira, às 20h, no Grande Teatro do Sesc Palladium, Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro. Entrada franca mediante a retirada do ingresso duas horas antes da apresentação, sujeita à lotação do espaço. Informações: (31) 3270-8100.

Três perguntas para...
Adriana Calcanhoto
Cantora


Quanto tempo durou o trabalho de organização do livro?

Difícil precisar, porque fui fazendo a pesquisa paralelamente à turnê e outros compromissos, entrevistas etc. O trabalho de ilustração durou 40 minutos. Queria algo espontâneo e não desenhos já prontos na minha cabeça.

Teve alguma dificuldade?


Tive dificuldade de parar para entregar o livro, porque a cada dia descobria novos lindos haicais na internet. A parte difícil é a de cortar haicais de poetas de quem gosto muito, como Alice Ruiz, por exemplo. Os que ficam de fora doem na gente…

Como os brasileiros se relacionam com o haicai?

Temos diversas correntes e o livro trata um pouco disso. Há quem escreva tercetos e chame de haicai e há haijins (escritores de haicai) que o produzem seguindo à risca a tradição. O haicai, hoje, é a forma fixa poética mais praticada no Brasil, mais do que foi o soneto no século 19. Não sei se nós, brasileiros, temos conhecimento de causa (excetuando os haijins e os especialistas), mas com certeza absoluta o amamos desde que chegou ao Brasil.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS