Cia. Sesc de Dança apresenta três montagens no Sesc Palladium

Duas das coreografias que vão ser dançadas no palco são inéditas

por Mariana Peixoto 19/09/2014 09:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
TARCÍSIO DE PAULA/DIVULGAÇÃO
'Oblivion' está entre as coreografias da Cia. Sesc de Dança (foto: TARCÍSIO DE PAULA/DIVULGAÇÃO)
Convidada para coreografar o clipe da canção O melhor da vida, de Marcelo Jeneci, Cassilene Abranches viveu uma experiência inédita em seus mais de 20 anos de dança profissional. “Chegando em São Paulo para gravar, a diretora me disse: ‘Cassi, me ajude a escolher a posição das câmeras para ver qual o melhor ângulo de cada movimento.’ Pirei, pois uma câmera mostrava os movimentos de um lado e a segunda, de outro.” A partir desse trabalho, Cassilene decidiu trabalhar num balé que mexesse com a perspectiva.


Foi assim que ela criou 'Plano', montagem da Cia. Sesc de Dança que estreia nesta sexta no Sesc Palladium. O balé é na verdade coreografia de 20 minutos que será apresentada ao lado de outras duas: 'Oblivion', também de 'Cassilene', essa já apresentada pelo grupo, e 'Grito suspenso', também inédita, do coreógrafo Ricardo Scheir. Em cena, bailarinos que integram a companhia formada há quase dois anos.

A banda Dibigode fez a trilha sonora de Plano. “O título é uma brincadeira com o cinema, pois são as câmeras que fazem os planos”, continua Cassilene, que criou movimentos dinâmicos, que podem ser vistos sob diferentes pontos de vista. A intenção da coreógrafa é aproximar o público da experiência de estar assistindo a um balé no teatro de arena, ainda que não esteja.

Já 'Oblivion', uma peça curta, de não mais do que 8 minutos, foi criada a partir da música de mesmo nome de Astor Piazzolla. Executada ao vivo na estreia, no fim do ano passado, por Célio Balona, Eliseu Barros, Milton Ramos e Cristiano Caldas, a música hoje será gravada. Na coreografia, Cassilene inspirou-se no tango para criar os movimentos de dança contemporânea. Assinada por Ricardo Scheir, 'Grito suspenso', com trilha original de Fábio Cardia, foi inspirada no poema homônimo de Liliana Maciel. A intenção é falar diretamente àqueles que sofreram algum tipo de repressão.

Bailarina profissional desde os 15 anos, Cassilene, que completa 40 na próxima semana, esteve no Corpo durante quase 13. Deixou a companhia mineira no ano passado para se dedicar à coreografia. “Desde 2009, venho coreografando e, à medida que a demanda aumentou, vi que tinha que fazer um opção, me arriscar”, conta ela, que estreou na função com a montagem 'Contracapa', do Ballet Jovem Palácio das Artes.

Criou ainda uma série de solos para colegas do Corpo, como também fez coreografia apresentada no Forum Econômico de Davos, em 2012. Para além do palco, Cassilene fez o trabalho no clipe de Marcelo Jeneci (com os bailarinos Janaína Castro e Filipe Bruschi) e participou (como coreógrafa e bailarina) do filme 'Rio, eu te amo', em cartaz nos cinemas. Cassilene dança no Municipal do Rio na sequência do longa dirigido por Carlos Saldanha.

CIA. SESC DE DANÇA
Sexta, às 21h. Sesc Palladium, Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro, (31) 3270-8100. Ingressos devem ser trocados na bilheteria por 2kg de alimento.
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS