Festival de Cenas Curtas chega aos 15 anos como celeiro de talentos

Evento, conhecido por revelar talentos e incentivar a cena teatral na capital, passa por dificuldades na organização mas promete edição "de resistência" em 2014

por Carolina Braga 17/09/2014 09:32

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ramon Brant/divulgação
Cena de 'Denunciados pela linguagem', que estreia dia 20 (foto: Ramon Brant/divulgação)
O Festival de Cenas Curtas completa 15 anos. Desde 1999, o evento revela talentos, aposta em novas linguagens e fomenta a cena teatral de Belo Horizonte. Com todas as dificuldades de patrocínio que o projeto enfrenta em 2014, a edição comemorativa será “histórica e de resistência”, afirma Chico Pelúcio, diretor do Galpão Cine Horto, que promove o festival.


Até domingo, 16 trabalhos passarão pelo palco do centro cultural mineiro, selecionados a partir de 160 propostas de 16 estados. Veio até uma cena curta da França. Para Chico Pelúcio, o interesse demonstrado pela classe artística é a prova da força do festival. Por isso, mesmo a trancos e barrancos, ele prossegue, apesar da redução do orçamento e de problemas relacionados à Lei Estadual de Incentivo à Cultura, que já atingiu o teto de dedução para este ano.


A programação é formada não apenas por gêneros variados, mas também por criações de diversas gerações. Considerada a dama do teatro mineiro, a atriz Wilma Henriques, de 83 anos, experimenta algo que há muito havia abandonado: a direção. É dela a concepção de 'A célebre criminosa', com Didi Moreira, Carluty Ferreira e Rogério Alves. Na década de 1980, Wilma dirigiu peças, mas confessa nunca ter gostado da atividade. Agora, não teve como fugir do convite feito pelo amigo Carluty Ferreira. “Como é uma cena de 15 minutos, não dá para fazer quase nada. Ficou algo arrojado, pra frente. É uma comédia. Então, vamos exagerar, mas sem escracho”, revela.


Sammer Lemos também vai debutar no Cenas Curtas. Formado em 2012 em artes cênicas pela Fundação Clóvis Salgado, ele dirigirá 'Denunciados pela linguagem'. “O festival é uma oportunidade muito boa para experimentar. Chamei a Laura Canedo para estrear na dramaturgia e resolvemos fazer essa parceria. É uma forma de começar a entrar na área”, explica ele.


'Denunciados pela linguagem' tem Ângela Mourão, Diego Roberto e Ramon Brant no elenco. Sammer está interessado tanto na qualidade do movimento dos atores quanto na sintonia de cenas simultâneas. “Um ator não precisa esperar o outro para dar o texto. Tudo acontece ao mesmo tempo ali naquele espaço”, revela.

 

RICARDO SG/DIVULGAÇÃO
A célebre criminosa, cena curta dirigida pela atriz Wilma Henriques (foto: RICARDO SG/DIVULGAÇÃO)
A ordem é ousar

 

A fama do Festival de Cenas Curtas como palco de experimentações é tão grande que atrai não apenas atores e diretores, mas também dramaturgos. “Sempre acompanhei o evento à distância e achava muito intrigante esse tipo de proposição. Ele sempre esteve no meu campo de visão, mas nunca havia tido uma oportunidade de participar”, afirma o dramaturgo e diretor carioca Diogo Liberano. Ele vai integrar a agenda deste ano, mas não estará acompanhado dos atores da Cia. Teatro Inominável, com quem trabalha. Ao lado de cinco dramaturgos de vários estados, Liberano criou a cena 'A estrutura dos intervalos de tempo entre as vírgulas do texto que eu nunca escrevi'.


O grupo reúne o mineiro Vinicius Souza, o catarinense André Felipe, o gaúcho Diones Camargo, o paulista Gustavo Colombini e a paranaense Ligia Souza Oliveira. “A gente tem investigado lugares que, de alguma forma, tentam demonstrar um pouco as ideias sobre a dramaturgia. Como ela tem se expandido, não dá mais para tratá-la de forma simplista”, adianta. O que eles vão exibir é surpresa. A sinopse apenas diz: “Seis dramaturgos constroem um acontecimento, um crocodilo, uma estrutura, um imprevisto, um motim, um treco”.


Cada proposta é exibida durante 15 minutos no palco do Galpão Cine Horto. Quatro cenas ficam em cartaz por noite. A mais votada pelo público, a cada sessão, é reapresentada na temporada dedicada aos destaques da edição.
Grupos importantes da cena mineira, como Espanca!, Cia. Clara e Primeira Campainha, foram revelados no festival.
Além da apresentação das cenas, o evento estimula a discussão sobre elas. No dia seguinte a cada sessão, críticos debatem os trabalhos com os artistas. Depois, publicam textos analíticos no site do Galpão Cine Horto.

 

PROGRAMAÇÃO

 

 

>> Quarta-feira
21h: Calor na bacurinha (Guilherme Morais), Rosa choque (Cris Moreira e Guilherme Théo), Atentados (Uma Companhia); A vida não é boa embaixo do viaduto/ Lady Macaxeira/ Mas quem poderia ter imaginado que o corpo tivesse tanto sangue?/ Se essa rua fosse minha/ Eu sou uma rainha (Juliana Pautilla e Denise Lopes Leal)

>> Quinta-feira
21h: A célebre criminosa (Wilma Henriques), O palhaço e o soldado (Felipe de Moraes), Pentes (Fernanda Jacob, Tuanny Araújo, Karinne Ribeiro e Ana Paula Monteiro), Vamos brincar de Sônia? (Edson Silva, Marcella Bezerra, Naira Carneiro e Victor Pedrosa).

>> Sexta-feira
21h: O aniversário da Didi (Helaine Freitas, Tamira Mantovani e Fabrício Trindade), Teste para não-atrizes (Giordano Castro e Thaysa Zooby), O poste (Daniel Salvi), O nariz e o bigode (Sara Rojo).
>> Sábado
21h: Game of you – Diários encenados (Nir Paldi e Nadja Mitidiero), Denunciados pela linguagem (Sammer Lemos, Angela Mourão, Diego Roberto e Ramon Brant), Os infinitos destinos da senhora Thompson (Diego Fortes, Ludmila Nascarella, Scheila Foltran e Alan Raffo), Não conte comigo para proliferar mentiras (Alexandre de Sena, Igor Leal e Will Soares).

>> Domingo
19h: Vencer na vida ou depois da conquista (Ana Luisa Santos e Marco Paulo Rolla), A estrutura dos intervalos de tempo entre as vírgulas do texto que eu nunca escrevi (André Felipe, Diones Camargo, Diogo Liberano, Gustavo Colombini, Ligia Souza Oliveira e Vinícius Souza), Aquele pequeno, quase insignificante…(Júlio Vianna, Brisa Marques, Bruno Colares, Carolina Corrêa e Fabiano Persi), O enterro de Lady Gaga (Daniela Stirbulov, Edgar Cardoso, Eliot Tosta, Igor Amanajas, Juliana Garcia, Thamiris Dias e Tatiana Abrantes).

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS