Site resgata 66 anos de história do teatro infanto-juvenil no Brasil

Desde a primeira peça infantil encenada no Brasil até os espetáculos mais recentes, as informações reunidas no portal estão catalogadas em 34 páginas principais, que se subdividem em mais de 2 mil páginas internas

por Agência Brasil 08/09/2014 10:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
As mais de seis décadas de história do teatro infanto-juvenil no Brasil estão amplamente documentadas em um portal lançado esta semana pelo Centro Brasileiro de Teatro para a Infância e Juventude (CBTIJ). Resultado de um intenso esforço de pesquisa, o site reúne um acervo que a partir de agora pode ser facilmente acessado pelos milhares de profissionais que atuam na área em todo o país, além de ser referência para estudos acadêmicos sobre esse segmento teatral.

Desde a primeira peça infantil encenada no Brasil – 'O Casaco Encantado', de Lucia Benedetti, em 1948, pela Cia. Artistas Unidos, da atriz Henriette Morineau – , passando por nomes como Maria Clara Machado, Ilo Krugli, Maria Helena Kuhner e Tim Rescala, até os espetáculos mais recentes, as informações reunidas no portal estão catalogadas em 34 páginas principais, que se subdividem em mais de 2 mil páginas internas. São 141 artigos e reflexões, 778 críticas, 4.551 imagens (fotos, cartazes e programas de peças), 44 entrevistas e 772 informações sobre espetáculos.

“O site da CBIJ já existe há quase dez anos, mas a informação que continha não era catalogada. Não tínhamos um banco de dados e um sistema de pesquisa, o que dificultava a procura”, explica o coordenador do projeto do portal, Antonio Carlos Bernardes, também conselheiro do CBTIJ. Segundo ele, a reformulação foi possível com os apoios da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro e da Fundação Nacional de Arte (Funarte).

Também estão disponíveis no site 23 novos textos teatrais de autores contemporâneos como Rogério Blat, Fátima Valença, Denise Grispun e Guto Grecco. A cada 15 dias, serão publicadas entrevistas que atualizarão o portal.

Segundo Antonio Carlos Bernardes, uma das dificuldades encontradas pela equipe encarregada de reunir as informações para o portal veio dos próprios profissionais do setor. “A maior parte dos artistas não tem o seu acervo organizado e catalogado. Nós tivemos que pesquisar em vários locais para completar as lacunas”, reconhece.

Outra preocupação foi a de incluir publicações específicas para o teatro infanto-juvenil, como os 14 volumes da revista Mamulengo e os nove números da Móin Móin, editada pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Com 18 anos de existência, o CBTIJ tem associados ligados ao teatro infanto-juvenil, nas cinco regiões do Brasil. Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul são os estados onde a organização não governamental tem atuação mais forte.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS