Cia. da Farsa encena 'Senhora dos afogados', de Nelson Rodrigues

Espetáculo entra em cartaz neste fim de semana no Galpão Cine Horto

por Carolina Braga 05/09/2014 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Lucas Serpa/Divulgação
Os atores Alexandre Toledo e Sidneia Simões se desdobram em vários personagens (foto: Lucas Serpa/Divulgação )
“Grandes autores são meio tentadores”, diz o ator Alexandre Toledo. Pois depois de visitar por duas vezes a dramaturgia de Ariano Suassuna, chegou a vez da Cia. da Farsa mergulhar em uma tragédia com tintas Rodrigueanas. 'Senhora dos afogados', a nona montagem do grupo, desta vez com direção de João Valadares, estreia hoje no Galpão Cine Horto em curta temporada até domingo.

Com Alexandre Toledo, Alex Zanonn, Marcus Labatti, Pedro Vieira e Sidneia Simões no elenco, o texto narra a história de uma filha obcecada pelo pai. Ao lado de 'Álbum de família' (1945), 'Senhora dos afogados' (1947) é tido como um dos textos mais polêmicos de Nelson Rodrigues. À maneira do autor, são abordados temas como incesto e traição. “Nelson sempre desloca o ator. Nos faz acessar coisas com as quais não tratamos corriqueiramente e fica um pouco no subterrâneo”, observa o ator.

A opção do grupo foi por uma encenação limpa, para valorizar texto e interpretação. Sendo assim, o cenário tem apenas uma mesa central, que também se transforma em cama, quarto e até mesmo um barco. “Fizemos alguns cortes no texto e resolvemos centrar nos cinco personagens principais”, conta Alexandre. Segundo ele, cada ator interpreta mais de um personagem.

Os ensaios para a peça começaram em março. Pesquisador de ação física, o caminho indicado pelo diretor João Valadares foi tentar primeiro representar no corpo toda a verborragia de Nelson Rodrigues. “Sempre crio a partir das ações, tentando fazer o corpo falar antes do texto. Nossa labuta diária passou por isso: como compreender sem simplesmente apenas lê-lo.”

Para João Valadares, o resultado é uma encenação bastante imagética, já que os corpos dos atores não tratados apenas como personagens, mas por vezes dançam e também representam o coro. O diretor se refere a 'Senhora dos afogados' como se fosse uma missa rezada às avessas. “Nelson toca em questões muito profundas do humano. Acho que é uma missa porque todos os personagens cometem pecados que nascem do amor. Todos eles amam demais”, conclui.

SENHORA DOS AFOGADOS
Peça de Nelson Rodrigues, com a Cia. da Farsa. NEsta sexta e sábado às 21h; domingo às 19h. Galpão Cine Horto (Rua Pitangui, 3.613, Horto). Ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS