Belo Horizonte ganha exibição do show Monty Phyton live

Apresentação terá os números apresentados no mês passado, em Londres, além de mostra de três filmes dos britânicos

por Fernanda Machado 29/08/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Leon Neal/AFP
Leon Neal/AFP (foto: Leon Neal/AFP)
Trinta anos após a separaração, o Monty Phyton – John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Terry Jones e Michael Palin, hoje septuagenários – se reuniu para 10 apresentações no O2 em Londres, entre 1º e 20 de julho. Prometendo nunca mais estar juntos no palco, os integrantes fizeram os shows dos mais concorridos de 2014 – os 14 mil ingressos para a noite de estreia, vendidos em novembro de 2013, esgotaram-se em 44 segundos. Pois o espetáculo chegou ao cinema. Amanhã e domingo, o Cine BH 6, do BH Shopping, exibe, às 12h30 e às 16h30, respectivamente, o show Monty Phyton live (Mostly), que reúne os números apresentados no mês passado.

O show, na verdade, já foi visto nos cinemas. Lá fora. Em 20 de julho, quando ocorreu a derradeira apresentação, 570 cinemas do Reino Unido – e outros 1,8 mil ao redor do planeta – transmitiram o espetáculo. A série de apresentações, que contou com convidados como Stephen Fry e Mike Myers, rendeu a cada um dos pythons US$ 3,7 milhões – parte do valor foi destinado ao espólio de Graham Chapman, o sexto integrante do grupo, morto em 1989. Para novembro, há a promessa do lançamento de um DVD.

Por aqui, o público também poderá relembrar os melhores momentos da trajetória do sexteto. De hoje a quarta-feira, o Cine Humberto Mauro exibe a mostra Trilogia Monty Phyton, que reúne os filmes Monty Pyton em busca do cálice sagrado (1975), A vida de Bryan (1979) e O sentido da vida (1983). Com textos que questionavam a ordem social, instituições e as relações humanas, além de um humor politicamente incorreto, recheado de nonsense e surrealismo, os seis integrantes revolucionaram a comédia mundial.

Eventos históricos

No primeiro filme, Monty Pyton em busca do cálice sagrado, dirigido por Terry Gilliam e Terry Jones, o rei Arthur (Graham Chapman) está à procura de cavaleiros que possam acompanhá-lo em uma importante jornada: a busca do Santo Graal. Sir Lancelot, o Bravo (John Cleese); Sir Robin, o Não-tão-bravo-quanto-Sir Lancelot (Eric Idle); Sir Galahad, o Puro (Terry Jones) e outros cavaleiros se dispõem a participar da busca real. O longa satiriza diversos eventos históricos ocorridos na Idade Média.

Já A vida de Brian, também com Jones na direção, faz uma sátira sobre a visão de Hollywood em relação aos temas bíblicos e religiosos. Em 33 d.C., na Judeia, a sociedade sofre com a pobreza e a desordem. Brian Cohen (Chapman) é um candidato a messias que se envolve em uma série de histórias hilárias, tornando-se cada vez mais importante entre todo o grupo.

Por fim, O sentido da vida, que volta a reunir os dois Terry na direção, apresenta série de esquetes sobre os estágios da vida, do nascimento até a morte.

O que ver


MONTY PHYTON
LIVE (MOSTLY)    
Amanhã, às 12h30, e domingo, às 16h30, no Cine BH 6, no BH Shopping. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia).

TRILOGIA
MONTY PYTHON    
De hoje a quarta, no Cine Humberto Mauro. Hoje: Monty Python Em busca do cálice sagrado, 17h; A vida de Brian, 19h; Monty Python – O sentido da vida, 21h. Entrada franca. Programação completa no site www.fcs.mg.gov.br.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS