Setecentas mil pessoas são esperadas na Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Edição de 2014 do evento investe no diálogo da literatura com outras artes. Espaço infantojuvenil ganha destaque

por Carlos Herculano Lopes 22/08/2014 12:33

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
BERTRAND LANGLOIS/AFP
Autor de 'Os instrumentos mortais', o norte-americano Harlan Coben vai participar da bienal paulistana (foto: BERTRAND LANGLOIS/AFP)
C
omeça nesta sexta a 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, a maior da América Latina, que reunirá expositores do Brasil e de outros países. O tema desta edição é Diversão, cultura e interatividade: tudo junto e misturado. Até dia 31, cerca de 700 mil visitantes, grande parte estudantes, são esperados em 400 atividades nas áreas da literatura, música, gastronomia, quadrinhos, teatro, dança, circo e cinema.

Com a presença de especialistas de diversos países, será realizado o 5º Congresso Internacional do Livro Digital, que vai discutir o mercado para as novas tecnologias.

Entre os 22 autores estrangeiros convidados para o Salão de Ideias e a Arena Cultural, destacam-se o norte-americano Harlan Coben, autor de romances de mistério; Cassandra Clare, que escreveu a saga 'Os instrumentos mortais'; Ken Follette, autor do best-seller 'Os pilares da sabedoria'; a inglesa Sally Gardner, que lançou 'O menino que sabia voar'; e Kiera Cass, autora da trilogia 'A seleção'.

Pratas da casa como Nélida Piñon, Cristóvão Tezza, a mineira Paula Pimenta, Alberto Mussa, Luiz Felipe Pondé, Milton Hatoum, Ignácio de Loyola Brandão e Mário Sérgio Cortella, entre outros, estão entre os 186 brasileiros que vão autografar livros e conversar com o público.
 
Programação especial, com mais de 100 atrações, ocupará o Espaço Imaginário, reservado para o público infantojuvenil. Autores consagrados como Pedro Bandeira, Eva Furnari e Daniel Munduruku estarão presentes. Em termos de venda, apostam-se muitas fichas nesse segmento, o que mais cresce no mercado editorial brasileiro.

Multicultural

Karina Pansa, presidente da Câmara Brasileira do Livro, informa que foram captados R$ 4,8 milhões para o evento por meio da Lei Rouanet. “Nosso objetivo é reforçar que a bienal de São Paulo é multicultural. Tudo passa pelo universo dos livros: atrações musicais, teatrais, circences e gastronômicas, entre outras”, afirma.

De acordo com ela, o visitante é a prioridade dos organizadores. “A mensagem de diversão, cultura e interatividade permite que o livro faça parte de todas as manifestações artísticas presentes entre as atrações da bienal”, reforça.

O espaço Cozinhando com as Palavras, que terá curadoria do chef André Boccato, vai reunir destaques da gastronomia, como Carlos Bertolazzi, Roberta Sudbrack, Carla Pernambuco, Mônica Rangel e Palmirinha.

Outro destaque é o espaço Clássicos da Periferia: rappers vão recontar, de forma criativa, clássicos da literatura como Vidas secas, O príncipe e A revolução dos bichos.

23ª BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO
Até dia 31. Pavilhão de Exposições do Anhembi, Avenida Olavo Fontoura, 1.209, Santana, São Paulo. De segunda a quinta-feira: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia-entrada). Sexta-feira, sábado e domingos: R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia). Informações pelo site da Bienal.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS