Virada Cultural de BH vai ter 460 atividades em 62 pontos da cidade

Segunda edição do evento vai acontecer na madrugada do dia 30 de agosto

por Carlos Herculano Lopes 20/08/2014 09:18

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ana Paula Migliari/Divulgação
O sambista carioca Diogo Nogueira fará a abertura da programação com a Orquestra Semininas, na Praça da Estação (foto: Ana Paula Migliari/Divulgação)
Evento grandioso, com cerca de 460 atividades culturais em 62 espaços da cidade, das 19h30 de sábado, dia 30, às 19h do domingo, dia 31. Assim será a 2ª Virada Cultural de Belo Horizonte. A exemplo do ano passado, quando foi um sucesso, o evento irá oferecer manifestações artísticas ligadas à música, teatro, cinema, dança, literatura, artes plásticas, circo e intervenções urbanas.


Tem arte para todos os gostos. Entre os tantos lugares por onde a festa vai rolar estão ainda o Parque Municipal, a Praça da Liberdade, a Praça do Teatro, no Centro Cultural Guanabara, Centro Cultural Vera Cruz, Rua Guaicurus, Academia Mineira de Letras e mais dezenas de outros pontos da cidade. Uma curiosidade marca a festa: se o show de abertura, na Praça da Estação, será do sambista carioca Diogo Nogueira, com participação especial da Orquestra Sesiminas, a prata da casa vai estar em alta, em mais de 90% da grade de programação.

Tantas emoções Entre os artistas locais, destaque para a cantora Aline Calixto e o rapper Flávio Renegado, que também vão se apresentar no sábado, no palco da Praça da Estação, em seguida ao show de Diogo Nogueira. Já na madrugada de domingo, à 0h30, no mesmo local, será a vez de Os Raimundos. Às 2h30 começa o Baile da Saudade. Lá pelas tantas, às 17h30, e às 19h, também na Praça da Estação, as atrações serão Paula Fernandes e a Vesperata de Diamantina. Lô Borges, Juarez Moreira, Marina Machado, Márcio Greyck Gilvan de Oliveira, Toquinho e Maurício Tizumba também estão entre as atrações.


Para Simone Araújo, diretora de Ação Cultural da Fundação Municipal de Cultura, que promove a festa com a Associação dos Amigos do Museu Histórico Abílio Barreto e outros parceiros, a Virada Cultural é um evento que propõe o encontro de pessoas, a troca de olhares e experiências. “É um grande acontecimento cultural da nossa cidade, que tem como protagonistas principais os artistas e a população de Belo Horizonte”, diz. Simone informa ainda que, pelo tamanho do evento, uma ou outra mudança de última hora poderá ocorrer, mas nada que tire o brilho da festa.


Já para Leônidas de Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura, a diversidade cultural é uma das marcas da virada, que procurou valorizar o patrimônio imaterial da capital. “Belo Horizonte é uma cidade cosmopolita, e o apoio à diversidade cultural deve ser encarado como política pública”, disse. Quanto ao item segurança, Leônidas informa que foi feita uma reunião com a Polícia Militar e a Guarda Municipal, que vão marcar presença nas 24 horas do evento, para dar tranquilidade ao público.


Uma grande novidade será a Viradinha, com programação especial para o público infantil. A maioria dos eventos será no Parque Municipal, com espetáculos teatrais, circences, oficinas, e “contação de histórias”. Entre os destaques, Um baú de fundo fundo, com o Grupo Giramundo; O picadeiro aéreo, do Circo Escola de São Paulo: e o Miniteatro das sombras, do Grupo Girino.

 

2ª VIRADA CULTURAL DE BH
Dias 30 e 31. Informações pelo site da Virada Cultural

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS