Fotógrafos Alexandre Severo e Marcelo Lyra são vítimas fatais da queda de jato que matou Eduardo Campos

Artistas pernambucanos registravam campanha do presidenciável; candidato e seis membros da equipe morreram em acidente aéreo na cidade de Santos, litoral paulista

por Bossuet Alvim Diário de Pernambuco 13/08/2014 18:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Alexandre Severo/alexandresevero.com/Reprodução
Ensaio 'À flor da pele', sobre crianças albinas em família de negros na periferia de Olinda, rendeu reconhecimento internacional ao recifense Alexandre Severo, fotógrafo de Eduardo Campos (foto: Alexandre Severo/alexandresevero.com/Reprodução)
A queda do jato que matou o candidato à Presidência Eduardo Campos na manhã desta quarta-feira, 13, também fez vítimas no meio artístico: os fotógrafos pernambucanos Alexandre Severo e Marcelo Lyra. Ambos integravam o grupo de sete pessoas a bordo do avião, que caiu sem deixar sobreviventes em Santos, no litoral de São Paulo. 

 

Alexandre Severo

Nascido em Recife e radicado na capital paulista, Severo começou a fotografar em 2002. Graduou-se em Publicidade na Universidade Católica de Pernambuco em 2011 e concluiu pós-graduação em fotografia na Fundação Álvares Penteado (Faap) em 2013. Além de colaborações em revistas de circulação nacional, trabalhou nas redações de Jornal do Commercio, Folha de Pernambuco e no Diário de Pernambuco, que integra os Diários Associados.

Alexandre Severo/Tumblr/Reprodução
Alexandre Severo em autorretrato: artista pernambucano conquistou prêmios e notoriedade (foto: Alexandre Severo/Tumblr/Reprodução)
Em 2009, Alexandre ganhou maior notoriedade ao produzir o ensaio 'À flor da pele', com imagens que retratavam o dia a dia de irmãos albinos em uma família de negros na periferia de Olinda. A série de retratos lhe rendeu menção honrosa no 31º Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos daquele ano. Assinou ainda o ensaio 'Amor de verdade' (2012), que usava os bonecos Barbie e Ken para a representação de relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo, em alusão ao reconhecimento pelo STF das uniões civis homoafetivas.

 

O artista teve imagens publicadas em veículos de alcance global, como a Revista Time, e expôs trabalhos em eventos de grande porte, a exemplo de Paraty em Foco, 5ª Bienal Argentina de Fotografía Documental, e no museu Tate Modern, em Londres. Na campanha de Campos, tinha a tarefa de acompanhar a agenda do presidenciável  e produzir cobertura fotográfica de todos os passos do candidato. Suas obras mais recentes estão disponíveis no Tumblr e os ensaios consagrados podem ser acessados no site oficial do fotógrafo.

 

Marcelo Lyra

Natural de Recife, Lyra foi fotógrafo de diversos veículos do estado natal, entre eles o Diário de Pernambuco. Também acumulou experiências na cobertura de eventos da cena cultural na capital pernambucana, como o festival Mimo. Na campanha de Eduardo Campos, atuava como cinegrafista. 

Facebook/Acervo pessoal/Reprodução
Além de fotógrafo profissional, Marcelo Lyra era skatista e amante de esportes radicais (foto: Facebook/Acervo pessoal/Reprodução)
 



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS