Espetáculo 'Puzzle' chega a BH para única apresentação nesta quinta

Montagem da Kataklò Athletic Dance Company, da Itália, brinca com corpos dos bailarinos em jogo no palco

por Carolina Braga 07/08/2014 08:15

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marco Busato/Divulgação
A Kataklò Athletic Dance Company mistura acrobacias, ginástica rítmica desportiva e muita dança em 'Puzzle' (foto: Marco Busato/Divulgação)
É uma companhia formada por atletas. A diretora artística da Kataklò Athletic Dance Company, Giulia Stacioli, faz questão de frisar. Ela tem motivos. Puzzle, montagem que a companhia italiana apresenta no palco do Sesc Palladium hoje, nasceu de um desafio diferente para os integrantes: deixar a técnica de lado, vasculhar as emoções e participar ativamente da criação artística da peça.

Giulia Stancioli confessa que foi um jogo bem diferente. “É divertido pedir para eles fazerem algo que seja pessoal”, confessa. Puzzle não tem uma historinha. “Quando você olha para um quebra-cabeças não sabe o que é aquilo. Você precisa colocar junto para reconhecer a personalidade daquela obra. Tentei fazer isso”, adianta Giulia.

Segundo ela, o trabalho mistura diferentes técnicas. Tem acrobacias, ginástica rítmica desportiva e muita dança. “Você pode encontrar algumas conexões com outros shows de nosso repertório, mas as coreografias são muito diferentes. O modo como nos apropriamos do atletismo é o poder da companhia. E sempre há um pouco de humor. Gosto de ver uma coisa divertida”, diz.

No caso de Puzzle, o corpo dos bailarinos funciona mesmo como peças do quebra-cabeças. O chão é branco e a iluminação é toda colorida. Giulia Stacioli conta que os intérpretes jogam tanto entre si como com as cores projetadas para formar imagens diferentes em cada ato. Puzzle estreou na Itália e passou por diversas cidades do país.

No início deste ano, iniciou a turnê por outras nações europeias e a recepção surpreendeu Giulia Stancioli. “Apresentamos na Holanda e também na Turquia. São plateias muito diferentes, mas que ficaram muito empolgadas ao fim do show. O que sempre me interessa é usar o corpo para fomentar a boa energia. Que as boas vibrações pudessem ir e voltar para o palco”.

A lembrança que Giulia Stancioli tem do Brasil são as melhores possíveis. Em 2011, o grupo apresentou aqui Light, sempre com casa lotada. “Vocês são tão empolgados que espero que se divirtam conosco, assim como nós também nos divertimos com vocês”, afirma.

KATAKLÔ ATHLETIC DANCE THEATER
Nesta quinta, às 20h. Sesc Palladium.0 Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro, (31) 3270-8100. Ingressos: R$ 100 (plateia 1), R$ 70 (plateia 2), e R$ 40 (plateia 3).

SAIBA MAIS
A companhia

Esta será a segunda vez que a Kataklò vem ao Brasil. A companhia foi fundada em 1995, em Milão, na Itália, por Giulia Stancioli, que foi finalista de ginástica olímpica em Los Angeles (1984) e Seul (1988). O grupo se tornou conhecido por se apresentar em grandes eventos, como as Olimpíadas de Inverno de Turim, em 2006. Apesar de o trabalho ser frequentemente comparado ao do Momix, grupo se diferencia pela criação coletiva e pelo destaque que confere à execução técnica dos movimentos. Herança do esporte.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS