Ricardo Blat traz e BH a peça 'Homens, santos e desertores'

Espetáculo naturalista mostra a relação entre duas gerações

por Carolina Braga 01/08/2014 09:17

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
José Lins /Divulgação
O jovem Nelson Yateba vai contracenar com o veterano Ricardo Blat no palco da Funarte MG (foto: José Lins /Divulgação)
Só estar em cena atuando é suficiente para o ator Ricardo Blat. Mas Homens, santos e desertores, espetáculo em cartaz na sede da Funarte no domingo, oferece mais. É um texto de Mário Bortolotto no qual ele divide a cena com o jovem ator – e ex-aluno – Nelson Yateba sob a direção de Ernesto Piccolo. “Desenhamos esses personagens e expressamos as emoções em seis etapas durante a peça. São mesmo seis rounds de emoção”, diz Ricardo Blat.


A relação entre um jovem e um homem mais velho é narrada em flashbacks. Por vezes, aparentam ser pai e filho. Em outros momentos, levantam dúvidas se não seriam, na verdade, a mesma pessoa em idades diferentes. “Até que ponto podemos ultrapassar os limites padronizados de uma sociedade? Há embates, conflitos e depois tem um final que é surpreendente”, adianta Blat.

A crítica social, sempre presente nos textos de Bortolotto, não é diferente em Homens, santos e desertores. Ao longo da peça, o dramaturgo reflete sobre o bem e o mal que cada um carrega. “Isso sempre com flexibilidade, para nunca fechar uma ideia. São as possibilidades que as pessoas têm para sobreviver e reencontrar a si mesmas”, comenta Ricardo Blat.

Mestre Para Nelson Yateba, estar em cena com Ricardo é motivo de muita alegria. Eles se encontraram na primeira peça que fez profissionalmente, em 2001, e depois o jovem ator fez uma série de cursos tendo o veterano como mestre.

Homens, santos e desertores é um espetáculo naturalista. “O texto é bem forte e a gente sublinha alguns momentos específicos para nos aproximarmos da plateia”, conta Yateba. Não há interação, apenas alguns olhares mais direcionados. “A gente acaba sendo um pouco o reflexo daquela galera. Não ficamos presos no palco. O público está o tempo todo atuando junto”.

Homens, santos e desertores estreou no Rio de Janeiro em 2012. Percorreu alguns festivais pelo país e, agora, começa a turnê graças ao Prêmio Myriam Muniz de Circulação.

HOMENS, SANTOS E DESERTORES

Domingo, às 18h e às 20h. Funarte MG. Rua Januária 68, Floresta,(31) 3214-3258. Entrada franca, com retirada de senha uma hora antes do espetáculo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS