Gilberto Gawronski apresenta 'Ato de comunhão' em BH com entrada franca

Espetáculo fica em cartaz até sábado na Funarte MG

por Carolina Braga 31/07/2014 08:32

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paulo Severo/Divulgação
O ator e diretor Gilberto Gawronski traz a BH Ato de comunhão (foto: Paulo Severo/Divulgação)
Muitas vezes, as notícias horrorizam. Algumas, especialmente as policiais, chegam até para alertar sobre comportamentos contemporâneos. Há quem parta de situações absurdas da vida real e as traduza em arte. É o que o ator e diretor carioca Gilberto Gawronski faz no monólogo 'Ato de comunhão', em cartaz na Funarte. A peça se constrói a partir de fato que abalou o noticiário em 2001, quando um alemão fez anúncio à procura de alguém que pudesse literalmente devorar. O episódio conhecido como canibal alemão virou peça de teatro do dramaturgo argentino Lautaro Vito, que foi recomendada ao brasileiro pelo crítico de teatro uruguaio Jorge Arias. “Fiquei muito impactado não só pelo tema mas pela carpintaria do autor. Ele tem 36 anos e escreveu tudo em versos. Não espetaculariza o fato, mas metaforiza, dá aspecto lúdico e poético”, apresenta Gawronski.

O texto apresenta o protagonista na festa de aniversário de seus 8 anos, na época da morte de sua mãe e no encontro com homem que conhecera pela internet. A montagem, como é característica de outros trabalhos de Gilberto Gawronski, flerta com a performance das artes plásticas. “A internet tem a comunicação facilitada mas isso pode trazer rupturas fortes. Vejo muita gente se deparando com uma solidão que fica mais emergente quando tem tantos recursos para estar acompanhada”, comenta. Gawronski reconhece que 'Ato de comunhão' não é fácil. Ao mesmo tempo, a peça cumpre papel essencial do teatro: ser espelho da sociedade. “O que me interessa é deflagrar a questão teatral que o autor coloca: o que ele fez com o desejo?. Até que ponto você é dono do próprio corpo? É isso que impacta. O teatro tem que trazer uma leitura poética de fatos horripilantes”, finaliza.

ATO DE COMUNHÃO
De quinta a sábado, às 20h. Funarte MG. Rua Januária, 68,
Floresta, (31) 3214-3258. Entrada franca, com retirada de senha uma hora antes.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS