Academia Brasileira de Letras declara luto oficial pela morte de Ariano Suassuna

Presidente da ABL relembrou que ''no espaço de um mês, é o terceiro grande acadêmico que parte''

por Bossuet Alvim 23/07/2014 18:39

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Valter Campanato/ABr Brasília
Ariano Suassuna foi eleito para a cadeira 32 da ABL em 1989 e assumiu o posto no ano seguinte (foto: Valter Campanato/ABr Brasília)
A morte de Ariano Suassuna, vítima de acidente vascular cerebral nesta quarta-feira, 23, foi lamentada em nota pelo presidente da Academia Brasileira de Letras, Geraldo Holanda Cavalcanti. No início da noite, após a divulgação do falecimento, o diretor da ABL determinou luto oficial de três dias na instituição. "À multidão de seus amigos, leitores e admiradores no Brasil e no mundo, nossa solidariedade pela imensa perda", declarou. A bandeira da entidade fica a meio mastro em honra ao ocupante da cadeira 32, que integrava a academia desde 1990.

 

Linha do tempo: relembre a trajetória de Ariano Suassuna

 

No texto em que aborda a memória de Suassuna, Geraldo Holanda recorda-se ainda das perdas recentes de membros da ABL — Rubem Alves e João Ubaldo Ribeiro, ambos falecidos na última semana. "No espaço de um mês, é o terceiro grande acadêmico que parte", observou o presidente. Em nome da organização de autores, Cavalcanti ressaltou  que "Ariano reunia em sua pessoa as extraordinárias qualidades de homem de letras e de intelectual no melhor sentido da palavra". 

 

O trabalho do escritor paraibano pela valorização de características culturais do Nordeste nas obras eruditas também foi elogiado por Geraldo Holanda Cavalcanti. "Não podemos esquecer seu engajamento com o Movimento Armorial, através do qual buscava revigorar a identidade nordestina, especificamente a pernambucana e suas peregrinações levando, com humor, sua mensagem por todo o Brasil", destacou o presidente da ABL.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS