Rubem Alves deixa legado de mestre acadêmico e catálogo com mais de 160 obras

Morto aos 80 anos, mineiro radicado em Campinas dedicava-se a projeto social

19/07/2014 15:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgacao/Verus Editora
Nascido em Boa Esperança, no Sul de Minas, Rubem Alves dedicou-se à carreira acadêmica com o mesmo afinco com que conduzia a trajetória literária, que rendeu mais de 160 títulos (foto: Divulgacao/Verus Editora)

Mineiro de Boa Esperança, sul do estado, Rubem Alves soube encantar o mundo com suas histórias infantis, além de dar enorme contribuição para o cenário acadêmico e educacional com publicações  as áreas de teologia, psicanálise, sociologia, filosofia e educação. O escritor faleceu neste sábado, 19, em decorrência de complicações renais, deixando um currículo invejável e mais de 160 títulos publicados e distribuídos em 12 países. O teólogo deixa também três filhos: Sérgio, Marcos e Raquel.

Rubem Alves nasceu em 15 de setembro de 1933. Aos 12 anos, se mudou com os pais para o Rio de Janeiro, onde acabou sofrendo preconceito de seus amigos de escola por conta de seu sotaque arregado. Para compensar o isolamento provocado pela mudança, acabou encontrando na religião m alento e, posteriormente, a profissão que escolheria seguir.

 

Relembre as obras de Rubem Alves, que publicou mais de 160 títulos em vida

 

Formou-se Bacharel em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas, e em seguida Mestre na mesma disciplina pelo Union Theological Seminary, em Nova York. Considerado subversivo pela Igreja Presbiteriana, foi perseguido na época da ditadura militar, se mudando para os EUA. Lá, tornou-se Doutor em Filosofia, pelo Princeton Theological Seminary.

Como professor, lecionou no no Instituto Presbiteriano Gammon, na cidade de Lavras, Minas Gerais, no Seminário Presbiteriano de Campinas, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Rio Claro e na Universidade Estadual de Campinas, onde recebeu o título de Professor emérito. Ainda na UNICAMP, foi eleito representante dos professores titulares junto ao Conselho Universitário, no período de 1980 a 1985, Diretor da Assessoria de Relações Internacionais de 1985 a 1988 e Diretor da Assessoria Especial para Assuntos de Ensino de 1983 a 1985.

Entre as publicações de destaque do escritor estão as obras 'Da esperança – Teologia da esperança humana', que é marco do nascimento da Teologia da Libertação, e 'Variações sobre a vida e a morte', em que o autor trata de construir uma teologia poética, preocupada com o corpo, com a vida em sua dimensão real.

Além de teses, dissertações e monografias, Alves também conseguiu êxito na publicação de crônicas, ensaios e contos, e especialmente na literatura infantil, contabilizando quase trinta títulos do gênero, como 'A menina, a gaiola e a bicicleta' e 'A boneca de pano'.

Após sua aposentadoria, o escritor investiu na construção de um restaurante na cidade de Campinas, para colocar em prática sua paixão pela gastronomia. No local ainda eram ministrados cursos de cinema, pintura e literatura. A cidade paulista acabou se tornando a segunda casa do mineiro, que ocupou uma cadeira na Academia Campinense de Letras e foi condecorado com o título de cidadão-honorário do município, onde também recebeu a medalha Carlos Gomes de contribuição à cultura.

O teólogo também criou ao lado de sua família o Instituto Rubem Alves, associação aberta, sem fins lucrativos e de interesse publico que surgiu com o objetivo de ser um marco na educação, através do desenvolvimento de programas inovadores e alternativos. Um dos projetos desenvolvidos pelo Instituto é o Clube do Saber, que visa manter vivo o patrimônio intelectual e cultural do autor, além de aproximar o público das obras de Rubem Alves através da exposição permanente de seu acervo. Saiba mais no site oficial do projeto.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS