Chico Buarque representa o Brasil na copa do mundo da literatura

Brasileiro participa de competição promovida pela Universidade Rochester

por Fernanda Machado 14/06/2014 12:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Nirley Sena/A Tribuna de Santos
Com o livro Budapeste, Chico Buarque se classificou para a WCL (foto: Nirley Sena/A Tribuna de Santos)
Começou o mata-mata literário. Aproveitando o clima de Copa do Mundo, um torneio internacional de escritores promovido pela Universidade Rochester, nos EUA, mobiliza 32 países. O nosso boleiro Chico Buarque já fez bonito: na quinta-feira, enquanto brasileiros e croatas se enfrentavam no Itaquerão (SP), o romance Budapeste venceu Dark heart of the night, de Leonora Miano, autora de Camarões. Agora, Chico vai encarar adversários tradicionais da Seleção Brasileira nos estádios: o Chile %u2013 representado por Roberto Bolaño (com Noturno no Chile) %u2013 e a Holanda, que sai a campo com O jantar, de Hermann Koch. A %u201Cpartida%u201D entre eles está marcada paraodia 24. A World Cup of Literature (WCL) é realizada pelo programa Three Percent, que se propõe a divulgar autores de vários países junto a leitores de língua inglesa. Os concorrentes, lançados a partir de 2000, foram sugeridos por e-mail, Facebook e Twitter. Dois livros disputam o jogo elaborado por um %u201Cjuiz%u201D em forma de resenha. As partidas ocorrem no site do projeto. Os árbitros são selecionados entre pessoas ligadas à academia, ao mercado editorial, livreiros e leitores. Escretes de peso entrarão em campo nesta edição: Seu rosto amanhã, de Javier Marias, defende a Espanha; Memórias de minhas putas tristes, de Gabriel García Márquez, representa a Colômbia; o Japão vai à luta com 1084, de Haruki Murakami. Também se destacam a Argentina, com Um acontecimento na vida do pintor viajante, de César Aira; Portugal, com Jerusalém, de Gonçalo M. Tavares; eMéxico, com Rostos na multidão, de Valeria Luiselli. A copa das letras conta também com representantes do Irã, da Bósnia, de Gana, do Uruguai e da Costa Rica, entre outros países. Desde2007,o Brasil promove o seu próprio campeonato. Em 2013, o vencedor foi Diário da queda, de Michel Laub, que derrotou O sonâmbulo amador, deJosé Luiz Passos.A competição do ano passado teve até %u201Ccatimba%u201D: o escritor Paulo Scott não aprovou a brincadeira e solicitou a retirada de seu O habitante irreal da disputa.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS