Fotógrafo Charles Tôrres mostra cliques diários de Belo Horizonte em página do Facebook

Projeto 'BH - Uma Foto Por Dia' apresenta a cidade e Região Metropolitana a partir de diversos ângulos. Trabalho já é seguido por mais de 30 mil pessoas

por Fernanda Machado 27/05/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Por Luiz Felipe Nunes

Divulgação/Facebook
Tôrres afirma já ter tirado mais de 15 mil fotos de Belo Horizonte. 600 delas estão compartilhadas no Facebook (foto: Divulgação/Facebook)
Tudo começou como um hobby. Em meados de 2009, o fotógrafo mineiro Charles Tôrres - um apaixonado por urbanidades e pelos contornos de Belo Horizonte - resolveu participar do fórum online SkyscraperCity, espaço criado para fãs de arquitetura trocarem conhecimentos e fotografias de cidades mundo afora. Apesar de acessar o site desde 2006, somente três anos mais tarde decidiu também publicar imagens e, em 2012, nasceu a ideia de organizar o conteúdo. Tôrres abriu então um thread (tópico) onde propôs postar diariamente um clique de algum lugar da capital.
 
 
Nascido em 1986, em BH, Charles saiu da cidade ainda criança para morar por um ano em Ponte Nova. Logo depois, passou uma década em Brasília. Na capital federal conheceu sua atual esposa, Lígia, e a futura profissão, por influência do sogro. "O pai da Lígia é fotógrafo. E eu sempre gostei de urbanidades e queria passar o que eu via. Só que não sabia como. E foi na fotografia que eu me encontrei. Ele me influenciou demais. Posso considerar que ele é meu grande mestre", conta.

Os primeiros cliques foram dados ainda no Planalto Central, mas a saudade de BH persistia. "Brasília, apesar de ser uma cidade grande, é muito bucólica. Quando você vai de um bairro a outro, atravessa estradas. As cidades satélite são muito calmas, o plano piloto, que é o centro de lá, também é muito tranqüilo. Então sempre senti muita saudade dessa urbanidade, desse agito de BH", confessa o fotógrafo.

Os traços urbanos da capital mineira quase levaram Charles a cursar Arquitetura, mas ele acabou optando por Artes Plásticas, na Universidade de Brasília. Trabalhou por um tempo com animações em 3D e, aos 22 anos, veio com a esposa para BH, desta vez para ficar. Ele trabalhou mais um tempo com a animação, mas o desejo de ganhar a vida com a fotografia levou o casal a abrir o Estúdio Metrópole, onde ambos trabalham até hoje.

Arquivo pessoal
Lígia e Charles Tôrres. Unidos na fotografia, casal está junto desde os 16 anos de idade. Vieram de Brasília para Belo Horizonte onde conseguiram viver da arte (foto: Arquivo pessoal)
Uma foto por dia

Com o sucesso do tópico criado no SkyscraperCity, ironicamente vieram problemas. Os administradores do site não estavam confortáveis com a interação intensa dos usuários. "O negócio foi crescendo tanto que incomodou os administradores do fórum. Eles começaram a falar: 'suas fotos estão tomando espaço dos outros, porque toda vez que alguém posta alguma coisa vai lá para o topo da página, e vamos ter que tirar'", conta Charles. Foi aí que Lígia deu a primeira de uma série de contribuições para o futuro projeto: sugeriu a criação de um blog.

Depois de um rápido crescimento do blog, que registrava média de mil acessos por dia, a fotógrafa deu outra sugestão: criar uma fanpage no Facebook. "Eu fiquei resistente. Pensava: 'esse negócio de Facebook, daqui a pouco acaba igual o Orkut', mas criei a fanpage. E foi ali que o projeto explodiu". Com mais de 30 mil curtidas, a 'BH - Uma Foto Por Dia' já alcança público além Minas e até mesmo fora do Brasil. "A partir da fanpage, o projeto ficou mais conhecido fora de BH. Hoje temos acesso de Brasília, Rio, São Paulo, Nordeste. Fora do país também. Na Itália tem sempre uns três acessos diários, dos EUA tem uns 30 acessos, então é um projeto que tá crescendo além de fronteiras", comemora.

Divulgação/Facebook
Avenida Cristiano Machado, na região do bairro floresta, fotografada para o 'BH - Uma Foto Por Dia' (foto: Divulgação/Facebook)
Rotina


Em meio ao trabalho no Estúdio Metrópole, que envolve funções administrativas também exercidas pelo casal, além da vida social, como conseguir tempo para sair e fotografar a cidade? "Passo em um lugar e acho bacana. Tenho um mapa no Google Maps marcado com locais interessantes que gostaria de fotografar. Deixo lá marcado e quando tenho um tempo entre as tarefas dou uma passada. O processo de ir fotografar, trazer para o estúdio, editar e fazer o texto leva duas horas. Mas eu considero até rapido por que eu já sei onde vou. Se eu for procurar o local aí vai ser demorado", explica.

As fotografias não costumam ter restrição quanto ao objeto fotografado ou local onde o registro será feito. Prédios, ruas, monumentos e cotidiano estão todos retratados, assim como o Centro, o subúrbio e a Região Metropolitana aparecem nas imagens. "Faço muita foto em Contagem, porque moro perto da divisa. Não vejo BH só como município. BH pra mim é todo o contexto urbano. Sempre que posso posto Sabará, Betim, Vetor Norte, Confins, Nova Lima", afirma Tôrres.

Confira os mais de 600 registros de Belo Horizonte na página 'BH - Uma Foto Por Dia'.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS