Livro recupera a trajetória do mineiro Fernando Lucchesi nas artes plásticas

Livro da Editora C/Arte ganha lançamento na quinta-feira na Dotart. Mostra reúne obras que são o eixo da publicação

por Ana Clara Brant 25/05/2014 09:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Eugênio Gurgel/Esp. EM/D A Press - 15/10/2013
''São várias décadas de trajetória que não seguem uma linearidade. Está tudo junto e misturado'' - Fernando Lucchesi (foto: Eugênio Gurgel/Esp. EM/D A Press - 15/10/2013)
Uma geleia geral. É assim que o artista plástico Fernando Lucchesi define o livro que acaba de sair pela Editora C/Arte e que reúne suas principais obras. A publicação, que será lançada na quinta-feira, na Galeria de Arte Dotart, apresenta a trajetória de Lucchesi e traz inúmeros trabalhos entre desenhos, objetos e pinturas, como as das séries Africanas e Árvore da vida. “São várias décadas de trajetória e não seguem uma linearidade. Está tudo junto e misturado. Tive a ideia do livro e convidei Walter Sebastião (crítico e jornalista do Estado de Minas) para escrever o texto com todo o material que eu tinha nas mãos”, conta.

Há cerca de 18 anos, Fernando Lucchesi produziu um trabalho semelhante, mas acredita que o livro atual está mais completo. “É um projeto bem executado, bem feito, bem escrito e não teve muita invenção de moda”, resume. A publicação, amplamente ilustrada e que teve incentivo do Ministério da Cultura, com patrocínio da Cemig, é composta por 204 páginas, no formato 27cm x 29cm, com acabamento encadernado.

A obra pode ser adquirida no site da Editora C/Arte (www.comarte.com) e nas principais livrarias do Brasil, ao preço promocional de R$ 80.

Além do lançamento do livro, na quinta, Lucchesi vai abrir sua exposição, na Galeria Dotart, que é justamente o eixo da publicação. “É uma instalação. Peguei alguns móveis pessoais, objetos de artesanato da minha coleção e pintei tudo de azul. A instalação completa é muito grande e mede uns 4m de altura e cerca de 13m x 9m, mas para essa mostra devem entrar apenas uns 50%. Mesmo assim dá para se ter uma noção do que é o motivo do livro. É um caixote de madeira”, explica o artista.

No texto intitulado O finito e o infinito, Walter Sebastião lembra que “a obra de Fernando Lucchesi, à primeira vista, surge de um foco comum: uma trama de linhas, pontos, matérias, cor. Espessa o suficiente inclusive para ser percebida até como massa, já que carrega um elemento amorfo, do qual os pontos, unipresentes no Espaço, podem ser elementos iluminadores. Que, no confronto com a estrutura basicamente de horizontais e verticais (muitas vezes triângulos, retângulos, alguns quadrados, raros círculos), ordena-se tal qual notas numa partitura. Elementos que, combinados, adquirem múltiplas configurações. Sejam pinturas, desenhos, objetos ou instalações”.

Saiba mais

Geração 80


Nascido em Belo Horizonte, Fernando Lucchesi é artista autodidata e um dos representantes do movimento Como vai você, geração 80?. Seu trabalho evidencia características da arquitetura colonial e barroca, influência dos anos vividos na cidade de Ouro Preto. Sua pintura é considerada uma das mais vigorosas da arte brasileira. Para esta nova exposição, Lucchesi preparou pinturas inéditas, uma série especial de gravuras e objetos. A linguagem diversificada sempre foi uma característica do artista, que desliza tranquilamente entre as pinturas, objetos e desenhos, utilizando-se de materiais diversos, como a madeira e o cobre.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS