Relação delicada entre mãe e filha é tema de exposição fotográfica em BH

Mostra na AM Galeria de Arte é a primeira exposição solo da mineira, que participou de coletivas em importantes espaços dedicados à arte contemporânea

por Walter Sebastião 17/05/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
fotos: Paula Huven/divulgação
Mãe e filha fotografada pela mineira Paula Huven em estúdio de Belo Horizonte (foto: fotos: Paula Huven/divulgação)

Devastação é um conceito do psicanalista francês Jacques Lacan (1901-1981) para falar da necessidade da filha de se separar da mãe para se constituir como sujeito, como mulher. Dramática e complexa, a experiência gera sentimentos conflitantes. A fotógrafa Paula Huven se inspirou nesse conceito para criar o ensaio que será exposto a partir de hoje, na AM Galeria de Arte, em BH.

O conjunto de 13 imagens traz mães e filhas levadas a um estúdio. Juntas, ambas olharam para o espelho por 15 minutos, enquanto a fotógrafa, do outro lado do vidro, registrava o momento. O projeto recebeu o Prêmio Funarte Mulheres nas Artes Visuais.

 “O que está nas fotos é a complexidade relacional entre mãe e filha”, explica Paula. Isso envolve afeto, questionamentos, crueldades, amor, doçura e tensão. “Os sentimentos aparecem misturados, e, por isso, são dificilmente definidos com palavras. Mas, revelados pelo olhar, eles podem ser captados em uma foto”, acrescenta. “Vi, sobretudo, uma experiência de reconhecimento, olhares entre mães e filhas nunca registrados. Às vezes, os olhos se encontravam, em outros momentos eles se esquivavam. Houve quem se emocionasse. A partir da situação criada, o olhar ia tomando forma”, conta.

As imagens foram feitas com estúdio limpo e os mesmos enquadramento e luz. Só mudaram as mães e as filhas. Tal processo, explica Paula, “evidenciou a nitidez da figura humana”. A opção de ficar fora da vista das convidadas foi uma forma de evitar o reflexo da luz no espelho. As modelos sabiam que a fotógrafa estava dentro da cabine. Isso lhe permitiu concentrar a atenção nos olhares, sem a dispersão provocada por cenários e poses.

“O olhar é algo enorme e abarca a memória. É tão múltiplo quanto as pessoas”, explica Paula. O procedimento de criar situações para os modelos está em Apneia, outro ensaio da fotógrafa. Ela convidou nove pessoas permanecerem submersas numa piscina o maior tempo possível. As imagens trazem o embate da pessoa consigo mesmo em busca de fôlego.

“A fotografia é também momento de experiência”, defende Paula, explicando que os dois projetos abordam a relação com o corpo. Esse motivo ecoa em Encontro com o autorretrato, que traz a própria artista diante de seu retrato, pintado por Leonora Weissmann.

Jovem talento
A belo-horizontina Paula Huven tem 32 anos. Formada em comunicação social e mestre em arte e cultura contemporânea, ela fotografa há 12 anos e foi assistente de Miguel Rio Branco de 2008 a 2010. A mostra na AM Galeria de Arte é a primeira exposição solo da mineira, que participou de coletivas em importantes espaços dedicados à arte contemporânea.

DEVASTAÇÃO
Fotografias de Paula Huven. Abertura hoje, às 10h. AM Galeria de Arte, Rua Cláudio Manoel, 155, loja 4, Funcionários, (31)3223-4209. De segunda a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 10h às 13h30. Até 7 de junho.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS