Ana Maria Gonçalves conversa sobre o papel do negro na literatura

Mineira autora do premiado 'Um defeito de cor' bate papo com o público da capital no Museu de Artes e Ofícios. Gonçalves trabalha em um novo livro para o público jovem

por Carlos Herculano Lopes 15/05/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Brenda Lígia/divulgação
Ana Maria Gonçalves anuncia livro para os jovens (foto: Brenda Lígia/divulgação)
Depois do sucesso do romance 'Um defeito de cor', vencedor do Prêmio Casa das Américas em 2006, no qual perpassa 80 anos da história do Brasil e da África na voz da menina Kehind, a escritora Ana Maria Gonçalves anuncia o seu novo livro. O racismo terá também papel central na trama voltada para o público juvenil.

“Já está pronta a primeira versão, mas agora começa o trabalho de burilar o texto e acertar a trama. Estou feliz com esse trabalho”, adianta Ana Maria, que conversará com o público nesta quinta-feira, no Museu de Artes e Ofícios. Mineira de Ibiá, ela estreou na literatura, em 2002, com 'Ao lado e à margem do que sentes por mim', depois de deixar a publicidade para se dedicar à escrita.
Quatro anos depois, 'Um defeito de cor' a projetou nacionalmente. “Esse livro, que está chegando à 10ª edição, foi um divisor de águas. Com ele entendi que buscava um passado para mim, tarefa tão difícil para todos os negros descendentes da diáspora”, explica.

No evento de hoje, a autora mineira vai falar sobre a presença do negro na literatura brasileira. “Estou redescobrindo a beleza do texto de Geni Guimarães e prestando atenção em trabalhos coletivos como o Ogum’s Toques, de Salvador. Há muita gente nova fazendo um trabalho consciente e interessante”, conclui.

OFÍCIO DA PALAVRA
Bate-papo com Ana Maria Gonçalves. Nesta quinta-feira, às 19h30, no Museu de Artes e Ofícios, Praça da Estação, Centro. Entrada franca. Informações: (31)3225-1888.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS