Ateliê de Picasso em Paris é declarado monumento histórico pelo Governo da França

Proteção do imóvel atende apelo de movimento formado por artistas desde o início do ano

por AFP Fernanda Machado 13/05/2014 18:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução
Lugar que abrigou pintor espanhol foi berço do nascimento de obras como 'Guernica' (foto: Reprodução)
O ateliê parisiense no qual Pablo Picasso pintou a obra 'Guernica' foi declarado monumento histórico nesta terça-feira, 13, informou o Ministério francês da Cultura. Para a ministra da Cultura, Aurélie Filippetti, é uma "notícia muito boa". Em 7 de maio, ela havia pedido à Comissão Regional do Patrimônio que tomasse essa decisão.

Em abril, foi lançado um abaixo-assinado para salvar o ateliê, na forma de uma carta aberta à prefeita de Paris, Anne Hidalgo, e ao primeiro-ministro francês, Manuel Valls, ambos de origem espanhola.

Na carta, os signatários pediam a Anne e a Valls "a classificação urgente" do Grenier de Grands-Augustins, como é conhecido o ateliê situado nessa rua de Paris, "como lugar de memória".

"Ambos nasceram na Espanha e escolheram viver na França e em Paris. Também foi em Paris que Picasso pintou a tela mais importante do século XX, 'Guernica', no ateliê (...) no qual viveu de 1937 a 1955. À sua maneira, vocês são herdeiros singulares de 'Guernica', e seus destinos seguem os passos de Picasso", destacava a carta aberta.

Localizado no Quartier Latin, o sótão está fechado ao público desde novembro de 2013, após a expulsão do Comitê Nacional para a Educação Artística, a pedido da Câmara de Oficiais de Justiça de Paris, proprietários do edifício. Circulavam rumores de que o local poderia ser transformado em um hotel de luxo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS