David de Michelangelo tem risco mínimo de queda, afirma porta-voz de museu italiano

Obra-prima de mestre renascentista apresenta microfraturas na parte inferior das pernas

por AFP Fernanda Machado 06/05/2014 20:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
VINCENZO PINTO / AFP
Segundo representante de museu, ''não há nada dramático'' na conservação da estátua (foto: VINCENZO PINTO / AFP)
A famosa estátua de David criada por Michelangelo, exposta na Galeria da Academia de Florença, Itália, sofre de microfraturas nas pernas, mas o risco de queda é mínimo, declarou à AFP um porta-voz do museu florentino. "Mesmo se ocorresse um terremoto de 5,5 na escala Richter, o David seria, eu garanto, o último a cair", afirmou à AFP Marco Ferri.

Um estudo divulgado na semana passada revelou "uma série de microfraturas na parte inferior das duas pernas". As fraturas são visíveis no tornozelo esquerdo e no tronco e ameaçam a estabilidade" do David, indica o relatório do Conselho Nacional de Investigação (CNR) da Itália.

"Estes resultados são a cópia de uma investigação publicada há seis ou sete anos. Não há nada dramático", declarou Ferri. Para o CNR, as fissuras devem-se, "principalmente, à inclinação da estátua" que Michelangelo esculpiu em mármore de Carrara entre 1501 e 1504.

A escultura foi exposta ao ar livre em frente ao Palazzo Vecchio em um pedestal levemente inclinado, lembraram os pesquisadores. Marco Ferri declarou que no momento a estátua "não será deslocada nem colocada em um pedestal pneumático".

"Para começar, não é simples deslocar tal colosso. Além disso, já foram tomadas precauções, como a de controlar as vibrações no local", disse Ferri. Isso levou o museu a limitar o número de visitantes na sala onde o David é exposto.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS