Esquyna abre as portas a artistas que buscam espaço em BH

Espaço Coletivo Teatral, no bairro Sagrada Família, receberá vários espetáculos até julho

por Walter Sebastião 03/05/2014 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fiel à proposta de compartilhar cultura, o Esquyna abre suas portas a grupos e artistas que batalham por espaço em Belo Horizonte. Mantida pelas companhias Teatro Invertido e Mayombe, a sede do coletivo, no Bairro Sagrada Família, receberá vários espetáculos dos colegas até julho.

Neste fim de semana, o Núcleo de Criação e Pesquisa Sapos e Afogados abre a programação com a peça Caixa preta. A agenda, definida por edital, prevê também os espetáculos [gaveta], com a atriz Camila Morena da Luz; Silet, solo do ator e bailarino Gui Augusto; Fuga, com a atriz e bailarina Carla Normagna; e O pelicano, montagem da Companhia de Teatro.

Oficinas

Caixa preta remete a embalagens de remédio, à tarja preta dos medicamentos e também à caixa cênica. O espetáculo foi criado pela trupe surgida de oficinas ministradas pela atriz Juliana Barreto para usuários da rede pública de saúde mental em Belo Horizonte. Doze participantes daquele projeto criaram a Companhia Momentânea de Teatro.

Quando eles decidiram não se limitar a ser apenas “oficineiros” nasceu o Núcleo de Criação e Pesquisa Sapos e Afogados. Com 10 anos de estrada, a companhia ensaia atualmente no Galpão Cine Horto, na Região Leste, e conta com o apoio dos “padrinhos” do Grupo Galpão.

“Ser ator é se abrir à invenção e ao desconhecido”, ressalta Juliana Barreto. Convicto dessa proposta, o grupo lançou vários projetos. O curta-metragem Material bruto (2006) recebeu sete premiações e fez sucesso em festivais na Bolívia e em Portugal. Em 2011, a peça Duo estreou em um antigo hospital psiquiátrico de Trieste, na Itália, e a montagem seguinte, Frog sound – Isso não é um sorvete, invadiu as ruas mineiras com sua trama que mistura real e imaginário, loucura e normalidade.

Além de abrir seu palco aos companheiros de ofício, o Esquyna segue disposto a oferecer um espaço de referência para cultura e lazer, sobretudo à comunidade do Bairro Sagrada Família. Desde 2010, foram apresentados lá cerca de 50 espetáculos, assistidos por 7 mil pessoas.

CAIXA PRETA
Hoje, às 20h, e amanhã, às 19h, no Esquyna – Espaço Coletivo Teatral (Rua Célia de Souza, 571, Sagrada Família). Ingressos a R$ 10. Informações: (31) 8647-6627 e www.esquyna.blogspot.com.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS