Festival literário Flipoços leva nomes de destaque das artes ao Sul de Minas

Ferreira Gullar, Adélia Prado e Sérgio Paulo Rouanet estão entre os convidados. Programação vai até o dia 4 de maio

por Carlos Herculano Lopes 26/04/2014 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
TV Brasil/divulgação
O poeta Ferreira Gullar vai falar sobre o impacto dos ano de chumbo na sociedade brasileira (foto: TV Brasil/divulgação )
Os 50 anos do golpe civil-militar de 1964 e a cultura popular são temas da 9ª Feira Nacional do Livro e do Festival Literário de Poços de Caldas (Flipoços), que começam hoje na estância turística do Sul de Minas. Até 4 de maio, a cidade receberá alguns dos principais nomes da literatura brasileira contemporânea. O poeta e crítico de arte Ferreira Gullar é o patrono desta edição do festival.

O autor maranhense vai abordar temas relacionados aos 21 anos da ditadura militar. Artista engajado, diretor da Fundação Cultural de Brasília no governo João Goulart e autor do ensaio Vanguarda e subdesenvolvimento, Gullar foi preso logo depois da edição do Ato Institucional nº 5, em 1968, e deixou o país nos anos 1970. Morou na Rússia, no Chile, na Argentina e no Peru. Hoje, às 20h, no Teatro da Urca, ele falará sobre as consequências do golpe para a cultura brasileira.

Gisele Corrêa Ferreira, curadora da feira, explica por que a ditadura civil-militar norteará os debates: “Queremos mostrar, principalmente para as novas gerações, uma parte importante da história do nosso país que muitos desconhecem. A liberdade que desfrutamos hoje, com certeza, não veio de graça. Custou o sacrifício de muita gente”.

O golpe de 64 voltará à tona na segunda-feira: o historiador Marco Antonio Villa fará uma análise do significado histórico e político dos anos de chumbo. Sexta-feira, a mesa-redonda “Memórias da ditadura, o tempo do cale-se” reunirá os professores Anchieta Rocha, Carlos Manuel e Valéria Ignácio. Outro evento, no mesmo dia, tratará da tortura. “Memórias inesquecíveis da ditadura – as duas guerras de Vlado Herzog” lembrará o drama do jornalista Vladimir Herzog (1937-1975), acusado de ser comunista e assassinado depois de ser espancado nas dependências do 2º Exército, em São Paulo.

A morte de Herzog e a ação brutal dos torturadores, acobertados pelo Estado, deram origem à articulação civil antiditadura que desembocou no movimento das Diretasjá. O debate contará com Ivo Herzog, filho do jornalista, Audálio Dantas (que autografará seu livro sobre Vlado), Alberto Villas e o jornalista Paulo Werneck.

Teen
A agenda de hoje é movimentada e plural. Às 15h, na Arena Cultural, a mineira Paula Pimenta, sensação da literatura teen, vai bater papo com o público. Às 17h, os escritores Luiz Ruffato e Antônio Geraldo explicarão os respectivos processos de criação. No Espaço Hora da Prosa, a gaúcha Eliane Brum falará sobre a relação entre jornalismo e ficção literária. Ela vai autografar seu novo livro, Desacontecimentos.

Amanhã, o Flipoços oferecerá interessante debate a respeito das relações – nem sempre “pacíficas” – entre literatura, cinema e TV. Às 16h, no Teatro da Urca, o tema ficará a cargo de Lauro César Muniz, Fernando Bonassi e José Roberto Torero.

Poesia
  Outros temas além dos anos de chumbo ganharão espaço no Flipoços. Dia 3, Adélia Prado fala sobre poesia e autografa Miserere, lançado este ano. Também participarão da feira mineira os escritores Sérgio Paulo Rouanet, Mário Sérgio Cortella e os portugueses Luiz Miguel Rocha, Pedro Guilherme-Moreira, Joel Neto e Luiz Miguel Rosa Dias. Sobrinho de Fernando Pessoa, esse último falará sobre a vida e a obra do tio.

Poços de Caldas receberá também os autores espanhóis Eric Fratini, André Vianco, Rafael Draccon e Carolina Munhóz. A literatura criada pelos índios ganhará destaque com a presença na cidade dos autores Daniel Munduruku, Rosy Wassiry Guará, Olívio Jekupé e Cristino Wapichana.

No espaço destinado à música  estão programados shows com Claufe Rodrigues e Mônica Montone, além de bate-papo especial com o escritor, cantor e compositor Tavinho Moura, que contará histórias do Clube da Esquina.


FLIPOÇOS
Até 4 de maio. Teatro da Urca, Praça Getúlio Vargas, s/nº, Centro. Informações e programação completa: www.flipocos.com  ou (35) 3697-1551.


Na tela
A Flipoços se voltará também para as conexões da literatura com o cinema. Hoje, às 15h, no Teatro da Urca, será exibido o documentário José e Pilar, do diretor português Miguel Gonçalves Mendes, sobre o escritor José Saramago e sua musa, Pilar del Rio (foto). Amanhã, às 17h, o público poderá conferir Autobiografia, do mesmo cineasta, sobre a vida e obra
do pintor surrealista português Mário Cesariny. Mendes vai conversar com o público.


Duas perguntas para...
Gisele Corrêa Ferreira
Curadora de Flipoços

O que você espera do Flipoços 2014?
Poços de Caldas entrou no clima da feira, com banners espalhados nas principais ruas do Centro. Nosso festival não abrange só a cidade, mas todo o Sul de Minas e parte do interior de São Paulo. Cerca de 100 municípios estão envolvidos, vários mandarão caravanas de estudantes para participar do Flipoços.

Como eventos assim contribuem para o incentivo à leitura?
A nossa maior contribuição está na oportunidade que oferecemos às pessoas de ter contato direto com os escritores e seus livros. O Flipoços é diversificado. Programou também shows, mostras de cinema e diversas oficinas.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS