Gabriel García Márquez é homenageado por dois presidentes e milhares de fãs na Cidade do México

Chefes do executivo de México e Colômbia unem-se para prestar saudação final ao escritor

por Agência Estado 21/04/2014 14:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
AFP PHOTO/Yuri Cortez
Morto na última quinta-feira, 17, escritor colombiano adotou a capital mexicana como residência (foto: AFP PHOTO/Yuri Cortez)
As cinzas de Gabriel García Márquez estão sendo levadas nesta segunda-feira, 21, para o Palácio de Belas Artes na Cidade do México. Milhares de leitores e admiradores são esperados para prestar homenagens ao colombiano premiado com o Nobel de Literatura e considerado um dos melhores escritores em língua espanhola em três séculos.

Os presidentes do México e da Colômbia são esperados para uma cerimônia ao final da tarde, quatro dias depois da morte do autor, que faleceu aos 87 anos. A cidade natal de García Márquez Aracataca, na costa do Colômbia planeja um funeral simbólico. Na Colômbia, deve haver ainda uma maratona de leitura de obras do escritor.

García Márquez manteve laços com os dois países. Nasceu na Colômbia, mas escolheu o México como residência e ali escreveu algumas de suas principais obras, como 'Cem anos de solidão'.

O presidente do Conselho Nacional para a Cultura e as Artes do México, Rafael Tovar y de Teresa, informou que as cinzas do autor permanecerão no Palácio por três horas para que os admiradores possam se despedir e na sequência haverá uma cerimônia liderada pelo presidente mexicano Enrique Peña Nieto e o colombiano, Juan Manuel Santos. A homenagem contará com um espetáculo de música clássica, com obras escolhidas pela família do escritor.

No funeral simbólico em Aracataca, moradores planejam caminhar da casa em que García Márquez viveu quando criança, a qual hoje é um museu dedicado a sua obra, até uma igreja no centro da cidade e a cemitério local. "Vamos distribuir centenas de borboletas de papel amarelo em homenagem a Gabo", disse Polo Jorge Camargo, chefe do protocolo, fazendo referência a uma dos trechos mais famosos de 'Cem anos de solidão'.

Membros da família do escritor ainda não anunciaram onde devem ser depositadas definitivamente as cinzas. O embaixador colombiano no México, José Gabriel Ortiz , disse que há um desejo de que elas sejam divididas entre México e Colômbia.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS