Rafael Bianchi Zavagli apresenta exposição inspirada na natureza e tempo

O jovem artista celebra o fazer pictórico e investe no diálogo com a fotografia

por Walter Sebastião 17/04/2014 09:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fotos: Rafael Bianchi Zavagli/divulgação
'Anotação sobre o mar': evocação à natureza sem a obrigação de representar o real (foto: Fotos: Rafael Bianchi Zavagli/divulgação)
“Mostro paisagens contemplativas que pedem tempo, pausa para serem vistas”, explica Rafael Bianchi Zavagli, de 33 anos, a respeito de seus 12 trabalhos exibidos na Galeria de Arte GTO do Sesc Palladium, em Belo Horizonte. Com curadoria de Sara Moreno, a exposição evoca a natureza em obras que carregam a aversão do artista à velocidade do contexto urbano, recusada simbolicamente por ele.

“Essa proposição utópica e poética se posiciona contra uma forma de desenvolvimento das cidades. Nas pinturas está a horizontalidade oposta à verticalidade urbana, que ignora tudo à sua volta”, explica Zavagli.

A pintura do jovem mineiro traz muita matéria, gestos longos e é feita com trinchas a partir de fotos dele ou baixadas da internet. “É característica da pintura contemporânea atuar como resposta ao meio onde se vive, em diálogo com várias mídias”, observa Rafael, ressaltando que sua obra discute mais o fazer pictórico do que a representação de coisas.

“Se a pintura, um dia, serviu para representar a história, hoje ela segue caminhos mais independentes da obrigação de fidelidade ao real, do compromisso com movimentos ou de ter outro sentido além de sua própria existência”, afirma.

Integrante do grupo de jovens autores que, a partir dos anos 2000, deu nova perspectiva à pintura feita em Belo Horizonte, Rafael se formou em 2006 pela Escola de Belas-Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). “O que se faz na escola tem muito de exercício acadêmico. Gosto de pensar que o trabalho é meu mesmo, sobretudo depois que você está entregue ao mundo”, observa.

'Paisagem/Retiro' é a segunda individual do pintor – a primeira foi realizada em 2009, no Palácio das Artes. O interesse de Zavagli por questões arquitetônicas e pela cidade vem se transformando em recortes da paisagem natural com intenção reflexiva, criados com a retirada de elementos muito descritivos da imagem. Vem daí a palavra retiro do título da mostra, que alude também ao afastamento do cotidiano para a meditação.



Família

Rafael Bianchi Zavagli é filho de dois artistas plásticos: Sandra Bianchi e Mário Zavagli. “Isso é ótimo. Vejo dificuldade de meus amigos em fazer a família aceitar suas profissões, algo que nunca tive. Pelo contrário: sempre contamos com todo o apoio em casa, o suporte de livros. Era comum ver meus pais pintando o tempo inteiro”, revela.

Dos cinco irmãos, Rafael e Júlia Bianchi se formaram em artes plásticas. O pintor conta que a “tropa” costumava filar material dos pais. “Eles davam uma chorada, principalmente na hora de ceder as aquarelas, que são caras, mas acabavam nos deixando usá-las. Abusamos um pouco na época da escola, mas hoje já garanto meu material”, avisa o pintor.

BATE-PAPO E OFICINA

O uso da fotografia como ferramenta para a pintura é o tema da oficina que Rafael Zavagli vai ministrar em 17 de maio, das 11h às 17h, no mezanino do Sesc Palladium. As inscrições são gratuitas, com vagas limitadas, e devem ser feitas pelo e-mail educativopalladium@sescmg.com.br. Em 23 de maio, das 17h às 19h, no Espaço Multiuso do Sesc Palladium, Rafael e David Magila, autor de pintura exposta no Projeto Parede, vão bater papo com o público sobre os respectivos processos de criação.

PAISAGEM/RETIRO

Pinturas de Rafael Bianchi Zavagli. Até 28 de maio. Galeria de Arte GTO do Sesc Palladium. Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro, (31) 3270-8100. O espaço funciona de terça-feira a domingo, das 9h às 21h. Entrada franca.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS